Quais eram as formas de exploração do trabalho escravo nas cidades?

1
Haviam os escravos de ganho que trabalhavam em armazéns , vendiam quitutes , faziam pequenos concertos e alguns carregamentos para no final do dia levar o dinheiro para seu senhor. Muitos eram obrigados a se prostituir mesmo sendo condenado pela lei.
Um indivíduo pode se transformar em escravo de diversas maneiras:
por ser um prisioneiro de guerra; por contrair uma dívida, que seria paga com seu trabalho (por um tempo determinado ou pela vida toda); por ter cometido um crime e sendo, portanto, punido com a escravidão; por se oferecer como escravo em troca de alimento ou bens para a salvação de sua família ou comunidade em grande dificuldade; por pertencer a povos inimigos ou ser considerado culturalmente inferior.

Respostas

2013-11-25T05:09:04-02:00
História geral História da escravidão: Exploração do trabalho escravo na ÁfricaComente Érica Turci
01/11/201007h13




Comunicar erro Imprimir
Desde milênios, em todos os cantos do mundo, a escravidão foi uma prática comum e aceita por diversos povos. Somente a partir do século XIX é que o comércio de pessoas passou a ser criticado, e em muitas regiões foi abolido (pelo menos legalmente). Hoje em dia, apesar da existência de milhões de indivíduos ainda trabalhando como escravos, tal situação é considerada um crime pela comunidade internacional. Mas o que é ser um escravo? Segundo o Dicionário Eletrônico Houaiss, em sua primeira acepção, escravo é "quem ou aquele que, privado da liberdade, está submetido à vontade absoluta de um senhor, a quem pertence como propriedade". Um indivíduo pode se transformar em escravo de diversas maneiras: por ser um prisioneiro de guerra; por contrair uma dívida, que seria paga com seu trabalho (por um tempo determinado ou pela vida toda); por ter cometido um crime e sendo, portanto, punido com a escravidão; por se oferecer como escravo em troca de alimento ou bens para a salvação de sua família ou comunidade em grande dificuldade; por pertencer a povos inimigos ou ser considerado culturalmente inferior.