O homem, na tentativa de melhor compreender os mistérios da vida, sempre lançou mão de seus conhecimentos científicos e/ou religiosos. A datação por carbono quatorze é um belo exemplo da preocupação do homem em atribuir idade aos objetos e datar os acontecimentos. Em 1946 a Química forneceu as bases científicas para a datação de artefatos arqueológicos, usando o 14C. Esse isótopo é produzido na atmosfera pela ação da radiação cósmica sobre o nitrogênio, sendo posteriormente transformado em dióxido de carbono. Os vegetais absorvem o dióxido de carbono e, através da cadeia alimentar, a proporção de 14C nos organismos vivos mantém-se constante. Quando o organismo morre, a proporção de 14C nele presente diminui, já que, em função do tempo, se transforma novamente em 14N. Sabe-se que, a cada período de 5730 anos, a quantidade de 14C reduz-se à metade. Poderia um artefato de madeira, cujo teor determinado de 14C corresponde a 25% daquele presente nos organismos vivos, ser oriundo de uma árvore cortada no período do Antigo Egito (3200 a.C. a 2300 a.C.)?
Justifique.

1

Respostas

A melhor resposta!
2013-11-28T01:17:41-02:00
Não! Pois observando período de meia vida do carbono 14 que é de 5730 anos .
Se o teor  de carbono 14 corresponde a 25%, significa que 75% do teor diminuiu.

14------>-5730------>- 7 ----------->--5730---------->--3,5

C14 -------100%
C3,5----------x
x = 3,5 .100 / 14 = 25%

Para O teor do carbono 14 chegar a 25% passaram 11460 anos. Ou seja, duas meia vidas . É mais antigo que o período do antigo Egito!



1 5 1