Respostas

2013-12-05T16:06:18-02:00
Atualmente, os sofistas foram colocados em uma categoria de filosos gregos anteriores a Platão e Aristóteles por exemplo, mas o termo inicialmente era dado a certos tipos de escritores que em nada tem haver com os sofistas da época de Platão e Aristóteles, cujo tipo de pensamento acerta de suas diretrizes perduram até hoje. Eles, de uma maneira bem resumida, são conhecidos como aqueles cujo lema é: "A arte de convencer", ou seja, apesar de eles mesmos não acreditassem no que eles próprios difundiam - como seu modo de pensar, teorias, na hora de defender uma pessoa, tanto que são conhecidos como os primeiros advogados do mundo, e sabemos como muitos advogados são - eles faziam com que as pessoas para as quais eles discursam, acabem por concordar com a ideia dele, seja sobre uma visão de mundo, seja para defender alguém, pois apesar da verossimilhança (que no caso, é a história que eles falavam, dentro de um determinado contexto, ela acabava por fazer sentido) que suas teorias tinham, nada pode ser considerado como uma verdade absoluta, aí entra outro ponto sobre eles, que em sua maioria seguiam os pensamentos do seguinte filoso: Protágoras: "O homem é a medida de todas as coisas", ou seja, com isso ele quis dizer que, apesar de poder existir verdades, leis universais naturais e imutáveis, o homem podia acreditar e tomar como verdade absoluta o que ele quisesse que fosse, e também fazer os outros acreditarem nessas verdades, e por isso Platão e Aristóteles os criticavam tanto: primeiro por querer transmitir conhecimentos falsos e argumentar de forma enganosa com os outros, segundo porque achavam que a verdade é relativa, pode mudar de acordo com o ponto de vista de cada um, dividiam seus conceitos com os outros mas apenas como uma troca de ideias e de forma alguma para convencer, pois mesmo que existisse uma verdade universal, as pessoas poderiam enxerga-la de modo diferente.
Espero que seja isso que você queria. :)