Respostas

2013-12-17T23:52:01-02:00
     No Brasil com intuito de dividir as terras em partes "proporcionais" entre os muitos injustiçados criou-se a Reforma Agrária com previsão na Constituição de 1988 e de acordo com um Decreto de lei nº 3.365 de 21 de junho de 1941 (que no ano de 1988 foi reformulado pela Constituição Federal), tem o INCRA como órgão responsável pela elaboração de projetos latifundiários, negociação (grandes proprietários, movimento sem terra - MST), fiscalização e execução de projetos.
    A política de detrimento nas mãos de poucos a propriedade de grande lotes de terras ao qual se denomina-se grande latifúndio tem mudado desde os anos 50, e tem se tornado uma constante (tímida, mas, acontece), a criação de novos assentamentos o que viabiliza o crescimento do pequeno produtor rural com os incentivos do Governo Federal, ajudando na aquisição de empréstimos e facilidades na captação de recursos para agilizar o processo de crescimento pessoal e coletivo.
2013-12-17T23:52:50-02:00
Terra: direito de todos


A concentração de terras nas mãos de uma minoria sempre esteve presente no Brasil.
Isso tem origem desde a formação de nosso país, período  em que grandes propriedades de terras eram dadas em formas de Capitanias, divididas em sesmarias... e passando de geração a geração como um bem hereditário.

Essa realidade, no que diz respeito a concentração de Terras, pouco mudou. Tanto, que muitas vezes vê-se em jornais e revistas conflitos entre donos de terras e indígenas. Mais uma vez vemos entre as causas de problemas a demanda pela posse de terras.

Pois bem, essa é uma realidade que precisa mudar... e seria um grande passo uma reforma agrária que redistribui-se as posses de terras afim de garantir  o bem de todos, afinal essa é a função das politicas publicas promover o bem comum de todos.

Enfim, a posse de terras é uma grande riqueza que garante a sobrevivência de muitos, e precisa receber especial atenção a fim de apaziguar conflitos agrários e promover maior igualdade em nosso país.