Ajuda gratuita
com as lições de casa!

80% das perguntas são respondidas dentro de 10 minutos

Fazer pergunta

Faça download no celular

Android iOS

Tarefa

Seguir

A passagem da mentalidade mítica para o pensamento filosófico é

A passagem da mentalidade mítica para o pensamento filosófico é justificada por alguns teóricos com a tese "milagre grego", posiçao descartada por outros.Em que consiste essa tese e que explicaçoes lhe podem ser contrapostas?

Denunciar!

Adicionar comentário

Escrever comentário

Respostas

Se você quiser entender o pensamento grego, leia Nietzsche. Veja o que ele fala sobre as concepções dos pré-socráticos e, principalmente, seu estudo sobre a origem da tragédia grega e a oposição Dioniso x Apolo. A partir de Sócrates e Platão, quando se considera o início da filosofia, a ênfase no raciocínio "matou" a mitologia, porque o homem passou a ter a pretensão de explicar o mundo em termos racionais e achou que a "ciência" era capaz de tudo. Platão dividiu o mundo em dois (um "mundo das ideias" e um "mundo de aparências"), dizendo que tudo o que é bom, verdadeiro e virtuoso pertence ao mundo ideal e tudo o que é mau, falso e mentiroso pertence ao mundo das aparências. Para Nietzsche, isso é a negação da vida (já que esta, afinal, se desenrola no mundo das aparências platônico) e a projeção de felicidade para um mundo idealizado, fazendo com que as pessoas passassem a desejar a vida no outro mundo em vez desse (em outras palavras, só morrendo). Para Nietzsche, o auge da civilização grega deu-se antes de Sócrates e Platão, quando ainda existia o espírito trágico e mítico, e a partir desses dois começou a decadência, o niilismo, a negação da vida.

Foto de perfil do usuário kaira Kaira 23.04.2013 Obrigado (1) Avaliar: 1, Votos: 1
Denunciar!

Adicionar comentário

Escrever comentário

Você não encontrou o que estava à procura?

Fazer pergunta