Como pensador cristão, Santo Tomás serve-se da filosofia para que possa deduzir, racionalmente, a existência de Deus, que ele não questiona; ao contrário, mostra como se pode inferir a sua existência através dos cinco caminhos que a razão pode percorrer para concluir, daí, a existência de Deus e quais seriam esses caminhos?

Argumento do primeiro motor, A causa eficiente, Ser necessário e ser contingente, Os graus de perfeição, A finalidade do próximo.

Argumento do primeiro motor, A causa eficiente, Ser desnecessário e ser incontingente, Os graus de perfeição, A finalidade do ser.

Argumento do primeiro motor, A causa ineficiente, Ser necessário e ser contingente, Os graus de perfeição, A finalidade do ser.

Argumento do primeiro motor, A causa eficiente, Ser necessário e ser contingente, Os graus de perfeição, A finalidade do ser.

Argumento do primeiro motor, A causa eficiente, Ser necessário e ser contingente, Os graus de imperfeição, A finalidade do ser.

1

Respostas

2013-05-03T16:01:59-03:00

o filósofo cristão distingue cinco vias para caracterizar o conhecimento e provar a existência de Deus. Vejamos quais são:

1. Primeiro motor imóvel: esta primeira via supõe a existência do movimento no universo. Porém, um ser não move a si mesmo, só podendo, então, mover outro ou por outro ser movido. Assim, se retroagirmos ao infinito, não explicamos o movimento se não encontrarmos um primeiro motor que move todos os outros;

2. Primeira causa eficiente: a segunda via diz respeito ao efeito que este motor imóvel acarreta: a percepção da ordenação das coisas em causas e efeitos permite averiguar que não há efeito sem causa. Dessa forma, igualmente retrocedendo ao infinito, não poderíamos senão chegar a uma causa eficiente que dá início ao movimento das coisas;

3. Ser Necessário e os seres possíveis: a terceira via compara os seres que podem ser e não ser. A possibilidade destes seres implica que alguma vez este ser não foi e passou a ser e ainda vem a não ser novamente. Mas do nada, nada vem e, por isso, estes seres possíveis dependem de um ser necessário para fundamentar suas existências;

4. Graus de Perfeição: a quarta via trata dos graus de perfeição, em que comparações são constatadas a partir de um máximo (ótimo) que na verdade contém o verdadeiro ser (o mais ou menos só se diz em referência a um máximo);

5. Governo Supremo: a quinta via fala da questão da ordem e finalidade que a suprema inteligência governa todas as coisas (já que no mundo há ordem!), dispondo-as de forma organizada racionalmente, o que evidencia a intenção da existência de cada ser.

1 5 1