Respostas

2014-03-08T21:13:29-03:00
 O Processo da Filosofia no Ocidente se dá através de datas e eventos históricos que preencheram a filosofia do Ocidente, bem como os ideais dos filósofos destas épocas e também suas correntes filosóficas. É convencionalmente dividido em três eras gerais: Filosofia antiga, Filosofia medieval e Filosofia moderna. A era Antiga atravessa a queda de Roma e inclui os famosos filósofos gregos, como Platão e o Aristóteles. No entanto, o período Medieval corre asperamente até o ano 1400, ligado fortemente ao Renascimento e todos seus ideais e correntes de pensamentos novos sobre o homem e sua existência. O "Moderno" é uma palavra com uso mais variado, incluindo todo o final do século 16 e os princípios do século 20. Filosofia contemporânea tem como fundamento os desenvolvimentos filosóficos do século 20 até nossos dias presentes que inclui escritores pós-modernos e pensadores sobre nossa sociedade atual e futura. Em sua concepção mais erudita, a Filosofia é um ramo do conhecimento que pode ser caracterizado de três modos: seja pelos conteúdos ou temas tratados, seja pela função que exerce na cultura, seja pela forma como trata tais temas. Com relação aos conteúdos, contemporaneamente, a Filosofia trata de conceitos tais como bem, beleza, justiça, verdade. Mas, nem sempre a Filosofia tratou de temas selecionados, como os indicados acima. No começo, na Grécia, a Filosofia tratava de todos os temas, já que até o séc. XIX não havia uma separação entre ciência e filosofia. Assim, na Grécia, a Filosofia incorporava todo o saber. No entanto, a Filosofia inaugurou um modo novo de tratamento dos temas a que passa a se dedicar, determinando uma mudança na forma de conhecimento do mundo até então vigente. Cabe perguntar o que haveria de filosófico na proposição de Tales. Muitos ensaiaram uma resposta a esta questão. Hegel, por exemplo, afirma: "com ela a Filosofia começa, porque através dela chega à consciência de que o um é a essência, o verdadeiro, o único que é em si e para si. Começa aqui um distanciar-se daquilo que é a nossa percepção sensível". Segundo Hegel, o filosófico aqui é o encontro do universal, a água, ou seja, um único como verdadeiro.