Respostas

2014-03-09T15:05:46-03:00
O ciclo solar tem muitos efeitos importantes, que influenciam nosso planeta. Estudos de heliosismologia executados a partir de sondas espaciais permitiram observar certas "vibrações solares", cuja frequência cresce com o aumento da atividade solar, acompanhando o ciclo de 11 anos de erupções, a cada 22 anos existe a manifestação do chamado hemisfério dominador, além da movimentação das estruturas magnéticas em direção aos pólos, que resulta em dois ciclos de 18 anos com incremento da atividade geomagnética da Terra e da oscilação da temperatura do plasma ionosférico na estratosfera de nosso planeta. 
 Sem o sol, a vida na Terra não seria possível. Não existiriam as plantas, os ventos, os rios, as cores, enfim enhuma forma de vida. Seríamos uma imensa massa, escura, fria e congelada
Todas as coisas vivas precisam alimentar-se de energia para crescer, mover e reproduzir. As plantas suprem suas necessidades captando a luz do sol e convertendo-a em energia química em um processo conhecido como fotossíntese. Outros seres vivos, como os seres humanos, que não conseguem realizar a captação de energia dessa forma têm de supri-la alimentando-se de outros animais ou plantas. 
Na Terra, quase todas as fontes de energia conhecidas e utilizadas pelos homens foram ou sào derivadas do Sol. O carvão, o petróleo, e o gás natural conhecidos como combustíveis fósseis, são produtos da captação e armazenamento da luz solar em plantas, algas e animais pré-históricos, que existiram a milhões de anos atrás. As florestas e culturas agrícolas existentes hoje (como a cana de açúcar), chamadas de biomassas, são também produtos do processo de fotossíntese. 

A evaporação de parte da água dos rios, lagos e mares é provocada pela luz do sol. Esse vapor sobe para a atmosfera, reunem-se formando nuvens que se deslocam, condensam e caem como chuva, reabastecendo os rios e lagos que correm para o mar. 
 Sol provoca o surgimento de regiões com diferenças na pressão do ar. As regiões de ar sob altas pressões tendem a mover-se para regiões de baixas pressões, criando os ventos.