Respostas

2014-03-14T18:32:19-03:00
 Crise da Monarquia
- O sistema monárquico brasileiro encontrava-se desgastado e era questionado
por vários setores da população brasileira. O exército não aceitava mais a
corrupção dentro do governo monárquico. Algumas imposições feitas pelo
imperador também eram questionadas pelos militares. Entra elas, a proibição
de oficiais do exército brasileiro em se manifestar na imprensa, sem a
autorização do Ministro da Guerra.
- Os membros da Igreja Católica Brasileira também estavam descontentes com
o governo de Dom Pedro II, pois havia muita interferência real nos assuntos
religiosos.
- A monarquia era um sistema enfraquecido no contexto mundial do final do
século XIX. Muitos países importantes já haviam adotado a República, que
possibilitava maior participação política dos cidadãos. No Brasil, a classe
média, estudantes e profissionais liberais, simpáticos ao regime republicano,
passaram a fazer oposição à Monarquia brasileira. Queriam a implantação da
República, para que pudessem ganhar poder e influenciar mais nas decisões
políticas e administrativas do país.
- Havia também um grande descontentamento dos fazendeiros conservadores.
Antes adeptos da Monarquia, estes agricultores retiraram o apoio político que
davam à Monarquia após a abolição da escravatura em 1888. Estes
fazendeiros eram proprietários de grandes quantidades de escravos e não
receberam indenização do governo após a abolição.
- Os setores progressistas do Brasil eram contrários a uma série de situações
mantidas pelo regime monárquico, tais como: voto censitário, falta de justiça
social, miséria, ensino público para poucos, elevado índice de analfabetismo.
1 5 1