Respostas

A melhor resposta!
2014-03-20T14:21:22-03:00

O modernismo brasileiro foi um amplo movimento cultural que repercutiu fortemente sobre a cena artística e a sociedade brasileira na primeira metade do século XX, sobretudo no campo da literatura e das artes plásticas. O movimento no Brasil foi desencadeado a partir da assimilação de tendências culturais e artísticas lançadas pelas vanguardas europeias no período que antecedeu a Primeira Guerra Mundial, como o Cubismo e o Futurismo.1 As novas linguagens modernas colocadas pelos movimentos artísticos e literários europeus foram aos poucos assimiladas pelo contexto artístico brasileiro, mas colocando como enfoque elementos da cultura brasileira. Considera-se a Semana de Arte Moderna, realizada em São Paulo, em 1922, como ponto de partida do modernismo no Brasil. Porém, nem todos os participantes desse evento eram modernistas: Graça Aranha, um pré-modernista, por exemplo, foi um dos oradores. Não sendo dominante desde o início, o modernismo, com o tempo, suplantou os anteriores. Foi marcado, sobretudo, pela liberdade de estilo e aproximação com a linguagem falada, sendo os da primeira fase mais radicais em relação a esse marco. Didacticamente, divide-se o Modernismo em três fases: a primeira fase, mais radical e fortemente oposta a tudo que foi anterior, cheia de irreverência e escândalo; uma segunda mais amena, que formou grandes romancistas e poetas; e uma terceira, também chamada Pós-Modernismo por vários autores, que se opunha de certo modo a primeira e era por isso ridicularizada com o apelido de Parnasianismo.
5 4 5
2014-03-20T14:22:46-03:00
O modernismo brasileiro foi um amplo movimento cultural que repercutiu fortemente sobre a cena artística e a sociedade brasileiras na primeira metade do século XX. 

Em comparação com outros movimentos também denominados modernistas, foi desencadeado tardiamente, na década de 1920. O modernismo brasileiro resultou, em grande parte , da assimilação de novas tendências artísticas e culturais lançadas pelas vanguardas européias anteriormente à Primeira Guerra Mundial, tais como Cubismo e Futurismo. Pode-se dizer, contudo, empregando a simbólica lançada por um dos mais notáveis modernistas brasileiros, Oswald de Andrade, que a assimilação dos modernismos europeus pela vanguarda brasileira fez-se de maneira "antropofágica". Os modernistas no Brasil tenderam, portanto, a "filtrar" a influência dos seus colegas europeus, e a rearranjar os elementos artísticos provindos de fora de modo a ajustá-los às singularidades culturais brasileiras. O impacto mais notável do modernismo brasileiro deu-se no campo da literatura e das artes plásticas. 

Tradicionalmente, considera-se a Semana de Arte Moderna realizada em São Paulo, em 1922, o ponto de partida do modernismo no Brasil. Todavia, não se pode afirmar que todos os participantes da Semana tenham sido modernistas: o pré-modernista Graça Aranha foi um dos oradores. Apesar de não ter sido dominante no começo, como atestam as vaias da platéia da época, este estilo, com o tempo, suplantou os anteriores. Era marcado por uma liberdade de estilo e aproximação da linguagem com a linguagem falada; os de primeira fase eram especialmente radicais quanto a isto. 

Didaticamente, divide-se o Modernismo em três fases: a primeira fase, mais radical e fortemente oposta a tudo que foi anterior, cheia de irreverência e escândalo; uma segunda mais amena, que formou grandes romancistas e poetas; e uma terceira, também chamada Pós-Modernismo por vários autores, que se opunha de certo modo a primeira e era por isso ridicularizada com o apelido de neo parnasianismo.