Respostas

2014-04-05T20:08:30-03:00
Mito é toda narrativa que fala sobre as origens, o princípio de algo. Encontramos mitos em praticamente todas as religiões. É uma palavra de origem grega que quer dizer narração, conto. Os mitos gregos em sua grande maioria apresentam um caráter trágico, de um fatalismo fiel ao destino, é só recordarmos alguns como o mito de Édipo, Narciso e Sísifo. A tragédia é um conceito e uma concepção bastante presente na Grécia antiga. Os gregos acreditavam que a vida seguia um destino trágico determinado pelos deuses que teciam nossa existência. Nisto consistia a tragédia grega, na impossibilidade humana de determinar ou decidir sobre seu próprio destino, sua própria história. Nasce a filosofia e com ela a tentativa de superação dos mitos e da visão trágica da vida concebida pelos gregos. A filosofia como amor à sabedoria, buscava superar a visão mitológica do mundo que acreditava que tudo quanto existia era originado e determinado pelos deuses. A razão passou a ser o padrão usado para analisar o mundo à nossa volta e não mais a revelação divina. O mito ainda está presente em nossos dias, no mundo atual. Criamos e aceitamos diariamente mitos sem saber que se tratam na verdade de visões falseadas e maqueadas da realidade. O mito tem uma função, criar um interdito e manter a coesão social. Mas nem sempre é benéfico, podendo gerar preconceitos e intolerância. Ainda hoje encontramos visões mitológicas do mundo que muito prejudicam o desenvolvimento pleno do homem enquanto ser humano dotado de racionalidade e capacidade crítica. O mito no mundo de hoje serve para manter a situação vigente, o sistema mundo imperante, as regalias dos grandes e as penúrias dos pequenos. A consciência trágica que cerca o imaginário da humanidade deve ser superada por uma filosofia que busque trabalhar na perspectiva da superação das injustiças e desigualdades sustentadas pelos mitos de hoje. Não existe um destino cego ou ditado por divindades que faz o mundo ser tal qual é e sem probabilidades de mudanças. O homem é senhor de sua história e se o mundo é tal como é, isso se deve ao próprio homem, artífice de sua própria sorte. Se há tanto mal no mundo é porque a humanidade tem optado pelo mal. Cabe-nos escolher um caminho diferente, pois somos livres. Imaginação e fantasia, ambas utilizadas na produção dos mitos que muitas vezes escravizam o homem, devem ser usadas para reconstruir a história humana e fazer do mundo cada vez mais um lugar melhor de se viver, onde as injustiças e desigualdades não tenham voz e o amor e a fraternidade imperem nas relações tanto entre os homens quanto do homem para com a natureza. Em vez do mito a utopia, um lugar que ainda não existe, mas que poderá existir. Só depende de nós.