Texto II
RELAÇÃO ENTRE VIOLÊNCIA E ATUAÇÃO DOS PROFESSORES

Em relação à percepção sobre as principais consequências para a atuação de um professor que é vítima de violência por parte dos alunos, foram citados o medo de continuar lecionando e o desestímulo, possivelmente decorrentes da atuação em um ambiente no qual não se sentem seguros para desenvolver suas atividades. Isso remete à ideia de constante tensão e falta de motivação na atuação docente com adolescentes infratores. Nesse ponto, pode-se retomar a discussão sobre as consequências da violência em forma de ameaças, na prática dos professores.
A insegurança foi a consequência relatada por todos os professores, o que leva à indagação sobre em que medida a presença de funcionários, destinados a assegurar a integridade física tanto dos professores quanto dos alunos em sala de aula, torna-se um dispositivo efetivo de proteção no ambiente de trabalho dos professores ou se, ao se colocar de forma acintosa e constante, seria a evidência forte da periculosidade da situação em que atuam os professores.
Um outro aspecto foi ainda indicado pelos professores participantes do estudo de Lopes (2006) sobre os significados que os professores atribuem à escola inserida na FEBEM: a presença de agentes de segurança nas salas de aula "despertava sentimentos ambíguos nos professores" (p. 52). Ao mesmo tempo em que se sentiam mais seguros ao delegar o controle da sala de aula aos agentes, sentiam-se tanto vigiados quanto desautorizados e destituídos de autoridade em seu ambiente de trabalho.
A imagem denegrida (sic) foi a expressão utilizada por um dos professores para relatar a consequência da violência relacionada à preocupação acerca do conceito formulado pelos alunos sobre o professor como figura sem autoridade, incapaz de controlar determinadas condutas dos alunos. Esse tipo de preocupação também se fez presente fora da sala de aula, nas relações entre os adolescentes e outros profissionais da instituição. No caso dos professores, a importância de ter uma imagem de credibilidade junto aos alunos implica conseguir estabelecer uma ordem mínima no funcionamento da sala de aula.
As outras consequências citadas dizem respeito à saúde física e mental dos profissionais. Consequências como depressão e doenças da mente e do corpo emergiram nos relatos de dois participantes. Isso seria um indicativo de que consideram a violência no ambiente de trabalho capaz de gerar consequências ligadas à qualidade de vida que transcendem o exercício da prática docente.
Se a atividade docente é referida na literatura como estressante e como fator que afeta a saúde tanto física como mental dos professores (Reis et al., 2006; Carlotto, 2002), supõe-se que essa atividade, ao ser exercida em um ambiente em que os professores se sentem em perigo constante, tenha efeitos bem mais danosos.
Fonte: SILVA, J. O. da; RISTUM, M. A violência escolar no contexto de privação de liberdade. jun. 2010. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S1414-98932010000200002&script=sci_arttext>. Acesso em: 14 mar. 2014.

Considerando os textos apresentados, Barros e Silva & Ristum apresentam ponto de vista diferentes acerca da violência nas escolas. Com qual dos autores você concorda? Comente, fazendo constar de seu texto referência a ideias dos autores e seu posicionamento em relação à questão.

1

Respostas

A melhor resposta!
2014-04-26T03:17:32-03:00
Sem dúvida o texto “Relação entre violência e atuação dos professores” elucida bem essa violência no contexto escolar como sendo um fenômeno que apresenta um forte incremento, atraindo crescentemente a atenção dos pesquisadores da área. Entretanto, as escolas instaladas nas unidades de privação de liberdade não têm merecido o mesmo interesse, apesar de sua reconhecida importância no direcionamento dos seus alunos, especialmente quando são adolescentes, para formas não delituosas de viver. Este artigo focaliza a violência dirigida ao professor por seus alunos adolescentes, em sala de aula, no contexto de unidades de privação de liberdade. A pesquisa objetivou compreender a percepção dos professores acerca do fenômeno, discutindo as especificidades das relações de ensino-aprendizagem, marcadas pelas características de uma escola inserida no sistema socioeducativo. Para a obtenção dos dados, foi utilizado um questionário com questões estruturadas e semiestruturadas, que permitiu constatar que, para os professores, as manifestações de violência se dão, em grande parte, de formas sutis, e são percebidas como capazes de afetar diretamente a atuação dos mesmos em sala de aula.
12 4 12