Nesta dimensão geográfica básica que conhecemos, ou seja a divisão campo/cidade, pode-se dizer que o primeiro deslocamento efetivo que mostra uma geografia em metamorfose, é sem dúvida a migração campo-cidade. Não há dúvida que a emergência da manufatura, da fábrica e da indústria, traz consigo a hegemonia do industrial sobre o agrário, do avanço da geografia urbana sobre a geografia rural. A densidade espacial das cidades, nódulos essenciais da urbanidade, toma proporções nunca vistas, arrastando consigo novas dimensões na relação homem/meio. A progressiva industrialização das atividades agrárias, fazendo por redefinir o arranjo espacial da geografia rural, estabelece a dinâmica do fluxo migratório campo/cidade. No nódulo do espaço urbano, a cidade cresce em densidade absorvendo como demanda cada vez mais crescente a mão-de-obra e a força de trabalho necessária. Este é um processo, pode-se dizer clássico onde o mundo da manufatura torna-se hegemônico. E nesta densidade acarretada amplia-se a divisão social do trabalho, a interdependência das atividades, e portanto não só produção mas também circulação tem sua geografia dilatada.Disponível em: <http://www.ub.edu/geocrit/sn-94-60.htm>. Acesso em 18 abr. 2014Segundo o texto muitas modificações ocorrem com o desenvolvimento indústria. Abaixo expomos algumas alternativas que condizem com o que diz o autor, exceto queEscolha uma:a. A geografia se dilata com o processo migratóriob. Com o avanço da manufatura passa a existir o predomínio do processo industrialc. A industrialização interfere na relação do homem com o campod. A geografia se modificou com o processo de migração campo-cidade

1

Respostas

2014-04-26T08:07:52-03:00
De acordo com o texto apresentando acima a alternativa mais coerente é a letra D.