∞ Poema - A noite dissolve os homens.

1. Observe
o título do poema e os versos que compõem a primeira estrofe; o texto poético
se organiza em torno da palavra noite. Escreva
as frases em que o eu lírico faz afirmações sobre essa palavra e diga o que essas
afirmações revelam.
2. Transcreva,
da primeira estrofe, os versos que indicam haver um forte conflito entre lados
opostos (guerra) em curso.


3. Explique,
com suas palavras, por que a palavra noite
e os elementos a ela associados na primeira estrofe estão empregados em
sentido conotativo.


4. Observe
agora os significados de um dicionário para a palavra aurora, que abre a
segunda estrofe do poema.





Aurora sf. 1. Período antes do
nascer do Sol, quando este já ilumina a parte da superfície terrestre ainda na
sombra. 2. P.ext. Princípio, começo.




§ Esses
significados indicados para a palavra aurora
estão em sentido conativo ou denotativo? Por quê?





5. Escreva
no caderno ao menos duas características que, no seu entender, conferem
conotação à palavra aurora no
contexto do poema.





6. Localize
na segunda estrofe o verso que permite relacionar o poema a um evento histórico
específico. Como o eu lírico se posiciona em relação a esse evento?

1

Respostas

2014-05-04T01:17:53-03:00
1)"Já não enxergo mais meus irmãos/nem tão pouco os rumores que outrora me perturbavam"
Essas afirmações revelam,que com a chegada da noite,os seus irmãos negros,desapareciam na escuridão e junto deles os rumores que os perturbava,ou seja,a discriminação,os preconceitos sofridos pelos negros.
2)"A noite desceu.Que noite!"
3)Porque se referem aos negros,ao medo,a morte.
4)Estão no sentido denotativo,pois é o sentido real da palavra aurora.
5)tímida e inexperiente 
6)"A noite desceu.Nas casas,nas ruas onde se combate."
O eu-lírico demonstra medo e incompreensão.
5 2 5
A questão 6 está perguntando em relação ao segundo estrofe. "A noite desceu.Nas casas,nas ruas onde se combate." faz parte do primeiro estrofe. Me ajude!
Não,esses versos fazem parte da segunda estrofe.
No livro tá diferente, o segundo estrofe começa assim...
Aurora, entretanto eu te diviso, ainda tímida,
inexperiente das luzes que vais ascender
e dos bens que repartirás com todos os homens.
Sob o úmido vu de raivas, queixas e humilhações,
adivinho-te que sobes, vapor róseo, expulsando a treva noturna... e vai até o final do poema,