Respostas

2014-05-08T15:30:36-03:00
Colônias portuguesas: Em relação a seus recursos, nenhum outro país realizou obra colonizadora tão extensa quanto Portugal. Aberto por seus navegadores o caminho marítimo para as Índias, mais tarde prolongado até as costas da China e do Japão, Portugal procurou conservar o monopólio do comércio europeu com essas regiões graças a uma ampla rede de feitorias no litoral da África e da Ásia.A ocupação e exploração do Brasil constituíram a obra colonizadora mais relevante de Portugal e um dos maiores empreendimentos do gênero em todo o mundo. Desde o descobrimento do Brasil até 1530, a intervenção de Portugal na América do Sul resumiu-se no envio de algumas esquadras para a exploração da costa atlântica, na fundação de algumas feitorias e no combate ao comércio clandestino de pau-brasil por barcos estrangeiros. Quando finalmente posta em prática, a política de ocupação agrícola nas capitanias de Pernambuco e Bahia foi coroada de êxito em poucas décadas. As plantations açucareiras do Nordeste contribuíram para popularizar o consumo do açúcar, para baixar seu preço e transformar a colônia em maior produtor mundial. Na última década do século XVII, os filões auríferos de Minas Gerais já atraíam empresariado e mão-de-obra antes dedicados ao açúcar. Tomou tal vulto a corrente de imigrantes do norte de Portugal que o governo lusitano adotou medidas para restringir a evasão para a colônia. O imigrante português miscigenou-se com negras e índias, fato que deu ao colonizador português não só o papel de explorador, mas também o de povoador. Diversamente do que ocorreu em outras possessões portuguesas, onde a colonização foi principalmente oficial, no Brasil ela assumiu um caráter eminentemente popular. Em vez de racionalizar a mineração, Portugal limitou-se a garantir a drenagem das riquezas para a metrópole por meio de dispositivos fiscais. Os pesados tributos cobrados pela metrópole provocaram levantes políticos e inspiraram os primeiros movimentos independentistas. Originaram também a busca de novas áreas auríferas livres de fiscalização e assim foram povoadas extensas regiões dos atuais estados de Mato Grosso e Goiás. Na Índia, Portugal cometeu o erro de substituir a orientação colonial de mero controle do comércio local pela ocupação efetiva do país manu militari. Seu envolvimento em guerras na Ásia consumiu todos os lucros do comércio e os portugueses acabaram praticamente banidos da exploração econômica desse continente, restando-lhes apenas as velhas feitorias de Goa, Damão e Diu (costa da Índia), Macau (China) e metade da ilha de Timor. No século XVII, Portugal voltou-se para a África, cujas feitorias lhe proporcionavam sobretudo pequenas quantidades de ouro e marfim. As feitorias africanas tornaram-se ativos portos negreiros, sobretudo na costa da Guiné, de Angola e de Moçambique. A concorrência da Inglaterra e da França eliminou os portugueses da parte mais rica do oeste africano: a costa da Guiné. Além de algumas ilhas do Atlântico (Açores, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe), sobraram a Portugal, na África: Angola, Moçambique e a Guiné portuguesa.
Colônias espanholas: Na partilha política do mundo colonial que entre si fizeram Portugal e Espanha pelo Tratado de Tordesilhas, de 1494, coube à última a quase totalidade da América. O império colonial espanhol nesse continente ia desde a Califórnia até a Terra do Fogo. O enfraquecimento da metrópole, ocupada pelas tropas de Napoleão, favoreceu as lutas pela independência. O Reino Unido, os Países Baixos e a França apoderaram-se das Guianas e de parte das Antilhas. No fim do século XIX, a Espanha perdeu Porto Rico para os Estados Unidos e Cuba obteve virtual independência.
Colônias holandesas: Em 1602, os holandeses fundaram a Companhia das Índias Orientais, cujos principais acionistas eram as câmaras municipais das maiores cidades dos Países Baixos. O século XVII foi o período áureo do comércio holandês na Ásia por meio dessa companhia, que agia segundo princípios mais liberais que os do mercantilismo ibérico e explorava os ódios e ressentimentos contra os portugueses. Obteve assim dividendos elevadíssimos, ao mesmo tempo que os lusitanos eram praticamente afastados do comércio asiático. Nas ilhas de Sonda e no Ceilão, contudo, seduzidos pelos altos rendimentos do comércio de especiarias, os holandeses se empenharam em monopolizá-lo. A luta contra os concorrentes e a baixa dos preços os forçaram a restringir a cultura de pimenta, cravo e noz-moscada ao centro de Java e a transformar essa ilha numa colônia de plantations. A sorte de Java não melhorou, porém, com a introdução das plantations. A colônia de povoamento implantada pela companhia no cabo de Boa Esperança também não prosperou e foi, finalmente, ocupada pelos ingleses. Problemas financeiros acabaram por levar a Companhia das Índias Orientais à dissolução.
http://www.coladaweb.com/historia/colonizacao
foi a unica coisa q achei, espero ter ajudado'
Obrigado ;)
Disponha :3