A estrutura social de Esparta
Com este artigo dou início a uma série de artigos dedicados à Esparta e à Atenas da época clássica. Começarei por descrever alguns aspectos de cada uma das cidades e depois farei um comparativo entre ambas.

Esparta era uma cidade oligárquica,cuja sociedade estava estratificada em Espartanos, Periecos e Hilotas. Entre estes estratos não havia qualquer mobilidade.
Os Espartanos eram os cidadãos. Para compreender o que significava ser Espartano deve-se dizer que as crianças pertenciam, desde que nasciam, à cidade; as pouco robustas ou deficientes eram eliminadas; as sobreviventes eram educadas pela cidade com primazia pelo exercício físico e militar, pois a guerra era a principal ocupação de Esparta. A cultura tinha pouco peso na educação dos Espartanos, as raparigas também tinham uma educação onde o exercício físico predominava, com o objectivo da darem à
Os Periecos eram os habitantes das povoações na periferia da Cidade de Esparta. Tinham autonomia nos assuntos internos, mas nos assuntos externos dependiam exclusivamente de Esparta. Combatiam ao lado dos Espartanos, mas em contingentes separados e não estavam obrigados a seguir a educação Espartana.
Os Hilotas eram servos que serviam o estado e não eram objecto de propriedade privada. A cada cidadão era atribuída uma parcela de terreno (Klêros) e associados a esse terreno estava um número de hilotas. Num dia por ano os Espartanos agrediam gratuitamente e impunemente os hilotas para recordar-lhes qual a estrutura social da cidade.
td isso tem no meu caderno kk, :)

Respostas

2014-05-20T17:38:59-03:00
Esparta era uma cidade oligárquica,cuja sociedade estava estratificada em EspartanosPeriecos eHilotas. Entre estes estratos não havia qualquer mobilidade. 

Os Espartanos eram os cidadãos. Para compreender o que significava ser Espartano deve-se dizer que as crianças pertenciam, desde que nasciam, à cidade; as pouco robustas ou deficientes eram eliminadas; as sobreviventes eram educadas pela cidade com primazia pelo exercício físico e militar, pois a guerra era a principal ocupação de Esparta. A cultura tinha pouco peso na educação dos Espartanos, as raparigas também tinham uma educação onde o exercício físico predominava, com o objectivo da darem à luz filhos robustos para a cidade. A esta prática de selecção não natural chama-se eugenia

Os Periecos eram os habitantes das povoações na periferia da Cidade de Esparta. Tinham autonomia nos assuntos internos, mas nos assuntos externos dependiam exclusivamente de Esparta. Combatiam ao lado dos Espartanos, mas em contingentes separados e não estavam obrigados a seguir a educação Espartana. 

Os Hilotas eram servos que serviam o estado e não eram objecto de propriedade privada. A cada cidadão era atribuída uma parcela de terreno (Klêros) e associados a esse terreno estava um número de hilotas. Num dia por ano os Espartanos agrediam gratuitamente e impunemente os hilotas para recordar-lhes qual a estrutura social da cidade.