Respostas

2013-06-29T17:29:18-03:00

Desde a independência havia na província do Pará um grande descontentamento com os comerciantes portugueses(que dominavam o setor), com o governo imperial, que ignorava as reivindicações dos paraenses, e com a precária situação econômica. Durante o governo de Bernardo Lobo de Souza (a partir de 1833), as arbitrariedades aumentaram.

Os liberais, liderados pelos fazendeiros Antõnio Clemente, os irmãos Vinagre(Francisco e Antônio), Eduardo Angelin, e com o apoio dos setores pobres do povo - os cabanos -, derrubaram o governo e xecutaram Lobo de Souza.

O governo foi entregue a Malcher, que, por ser autoritário e não atender às reivindicações daqueles que o colocram no poder, também foi executado.

Líderes mais próximos das camdas populares(os irmãos Vinagre e Eduardo Angelim) passarm a ter controle da situação. O movimento radicalizou-se. Escravos foram libertados e latifundiários foram mortos. As autoridades do Rio de Janeiro se encarregaram da repressão que foi cruel e eficaz.

"A Cabanagem foi popular pelo gigantesco apoio recebido de caboclos, negros escravos, negors libertos, e índios. O período mais radical ocorreu entre agosto de 1835, quando à frente do governo estava Eduardo Angelim, de apenas 21 anos. A repressão desencadeada pelo governo central foi violenta. Entre 30 e 40 mil pessoas - num total de 100 mil - morreram nessas lutas".