O economista Cláudio
de Moura Castro, em seu artigo publicado na Revista Veja, de 19/04/2000,
afirmou: “Porque, no país do ‘homem cordial’, somos tão atabalhoados na
etiqueta do celular? A mesma pessoa que faz gentilezas e rapapés palra no
aparelho diante de um grupo de amigos ou clientes.”

Considerando os
nossos estudos sobre a fala e a escrita. assinale a alternativa que, na fala,
melhor traduz a formalidade do discurso, sem comprometer o sentido do texto.

"Por que, no país do 'homem cordial', ficamos tão aturdidos na
etiqueta do celular? A mesma pessoa que faz gentilezas e adulações conversa
no aparelho diante de um grupo de amigos ou clientes."


"Por que, no país do 'homem
cordial', ficamos tão atrapalhados na etiqueta do celular? A mesma pessoa que
faz gentilezas e bajulações tagarela no aparelho diante de um grupo de amigos
ou clientes."


"Por que, no país do 'homem
cordial', ficamos tão perplexos na etiqueta do celular? A mesma pessoa que
faz gentilezas e lisonjas palavreia no aparelho diante de um grupo de amigos
ou clientes."

"Por que, no país do 'homem cordial', somos tão atrapalhados na
etiqueta do celular? A mesma pessoa que faz gentilezas e lisonjas palestra no
aparelho diante de um grupo de amigos ou clientes."

"Por que, no país do 'homem cordial', ficamos tão embaraçados na
etiqueta do celular? A mesma pessoa que faz gentilezas e rapapés chalra no
aparelho diante de um grupo de amigos ou clientes.

1

Respostas

A melhor resposta!
2014-05-28T11:23:36-03:00
"Por que, no país do homem cordial, ficamos tão atrapalhados na ética do celular? A mesma pessoa que faz gentilezas e lisonjas palestra no aparelho diante de um grupo de amigos ou clientes.
6 4 6
resposta correta"Por que, no país do 'homem cordial', ficamos tão atrapalhados na etiqueta do celular? A mesma pessoa que faz gentilezas e bajulações tagarela no aparelho diante de um grupo de amigos ou clientes."