"Terra e Céu, para eles, não existem mais. A Terra, porque é uma estrela no Céu, e o Céu, porque é composto de terras. Não há mais diferença entre o alto e o baixo, entre o eterno e o perecível. Que nós perecemos, sabemos bem. Mas o que eles dizem é que também o Céu perece." (fala do Monge, p. 109.)

a) Qual é o significado de "alto e baixo, eterno e perecível"?

a) Em que medida a nova astronomia "democratiza" o espaço?

1

Respostas

2014-06-01T10:07:23-03:00
A) De acordo com o pequeno fragmento da fala do monge é:
Alto: Céu, universo.
Baixo: Planeta Terra, litosfera.
Ou seja o monge( teocêntrica) com sua visão limitada que existe um mundo só o planeta Terra questiona as descobertas de Galileu Galilei (antropocentrismo e racionalismo), que existe outros planetas, infinitos mundos.
Eterno: Que nunca morre, que dura para sempre, perpétuo.
Perecível: Que morre, que chega ao fim, perene.
Ou seja o monge ( visão religiosa), "O céu nunca ira morrer, nós sim", questiona as descobertas de Galileu que um dia o céu (universo) terá fim que é perecível, assim como está em constante modificação, por exemplo as manchas solares, o aumento da orbita da lua e de outros planetas. Sendo que o sol (pode se um dia se apagar), A lua se chocar com a Terra, entre outras coisas.
b) Essa nova Astronomia (mudanças), que surgiu no século XVII, ajudou a democratizar o espaço, pois a descoberta que é o sol o cento do sistema solar, que existe outros mundos, que o universo é infinito, tirou essa visão de importância do Homem, sendo que somos mais um planeta entre tantos. O ser Humano começou a perceber que ninguém é maior que ninguém, não somos superiores que ao outro. Aplicando a todos os corpos do universo. Planetas e pessoas, todos são especiais, ninguém é superior ao outro. A Terra não é melhor que o Sol, somos todos iguais, e importantes no universo.


4 3 4