Leia o pequeno texto:

A pesquisa divulgada pela Unicamp sobre a situação socioeconômica dos candidatos a seus exames vestibulares lança luz sobre uma polêmica muitas vezes submersa no emocionalismo e na demagogia. Tendo adotado um vestibular com provas discursivas – que, sem dúvida, avaliam melhor o aluno – a Unicamp se viu objeto de ataques ao conteúdo pretensamente “elitizante” do novo sistema. O levantamento indica que a mudança no vestibular não alterou significativamente o quadro social dos aprovados. Sem dúvida continuam a provir, proporcionalmente, da parcela mais privilegiada da população. “A discriminação social está dada”, diz um dos realizadores da pesquisa, “e o vestibular não tem condições de driblá-la”. Com efeito: trata-se, antes de tudo, de melhorar a escola pública, assegurando igualdade de oportunidades a todos os vestibulandos; “facilitar” os exames, com base em algum argumento “antielitista”, seria apenas o rumo de uma maior deterioração da qualidade do ensino superior.

1- O texto acima, aparentemente, impessoal tem profundas interferências da função expressiva da linguagem. Para melhor detectá-las, releia-o e procure separar os dados referencias (as informações puras) dos dados expressivos (as indicações de avaliação do emissor do texto).


2- Esse texto tem alguma preocupação em influenciar seu receptor? Comente esse aspecto e diga qual a função da linguagem em questão.


Desde já agradeço. Sem plágios por favor :)

1

Respostas

2013-07-07T17:12:59-03:00
1 - Informação pura:
 "Tendo adotado um vestibular com provas discursivas"

 Dados expressivos:
"...
provas discursivas – que, sem dúvida, avaliam melhor o aluno" 
Afinal, quem garante que avaliam melhor o aluno? O emissor.

“facilitar” os exames, com base em algum argumento “antielitista”, seria apenas o rumo de uma maior deterioração da qualidade do ensino superior."

2 - Sim. Ele persuadir o leitor de que o vestibular não é feito para resolver problemas estruturais da educação. Essa função é a conativa.
3 5 3