Respostas

2013-07-08T19:35:39-03:00
Os nacionalistas irlandeses exigiam alguma forma do governo autônomo, de Grã-Bretanha, ou Home Rule desde 1880. Esta exigência eventualmente foi concedida pelos britânicos em 1914, mas postergado pelo início da Primeira guerra mundial em agosto deste ano. Durante a guerra, diversos eventos conspiraram para descarrilar o trajeto de uma negociação próspera para um governo autônomo da Irlanda. O primeiro destes foi o Levante da Páscoa de 1916, em que os republicanos Irlandeses lançaram uma insurreição visando terminar com o domínio britânico e fundar a República Irlandesa.O levante foi derrotado em uma semana, mas a resposta britânica - executando os líderes e prendendo milhares de ativistas nacionalistas - deu a sustentação necessária ao partido separatista Sinn Féin. Em seguida, ocorreu a tentativa britânica de introduzir o alistamento obrigatório na Irlanda em 1918, ignorando a oposição da opinião pública Irlandesa. Estes dois fatores, combinados com a postergação do Home Rule, levou o eleitorado irlandês a dar ao Sinn Fein, que prometeu não ocupar as cadeiras em Westminster e instituir um parlamento irlandês, 70% dos assentos na eleição geral Irlandesa de 1918.Para os republicanos irlandeses puristas, a guerra Irlandesa pela Independência começou com a proclamação da república Irlandesa durante o Levante da Páscoa de 1916.2 Os republicanos argumentam que os conflitos de 1919-21 (e a subsequente Guerra Civil Irlandesa) foi a defesa desta República contra a tentativas de destruí-la.Mais diretamente, a guerra teve a sua origem na formação de um parlamento independente unilateralmente declarado pelos Irlandeses, chamado Dáil Éireann, formado pela maioria do Sinn Fein Membros do Parlamento eleitos na eleição geral Irlandesa de 1918. Este parlamento, conhecido como oFirst Dáil, e seu ministério, chamado o Aireacht, declarou a independência da Irlanda. Os Voluntários Irlandeses, um grupo paramilitar formado em 1913, com a intenção de assegurar o Home Rule, foram reconstituídos como o 'Exercito Republicano Irlandês' ou IRA. O IRA recebeu de alguns membros do Dáil Éireann um mandato para empreender a guerra contra o governo Britânico, mas apesar de não estar claro no começo de 1919 se o Dail pretendia obter a independência por meio militares, um incidente em Janeiro de 1919 desencadeou um conflito armado.Em 21 de Janeiro de 1919, os voluntários do IRA sob o comando de Dan Breen, mataram dois membros da Royal Irish Constabulary quando eles se recusaram a se render em um posto que eles estavam guardando, em SoloheadbegCounty Tipperary.Isto é largamente considerado como o começo da guerra da independência, embora os homens tivessem agido por sua própria iniciativa. A lei Marcial foi declarada ao sul de Tipperary três dias mais tarde. No mesmo dia dos disparos em Soloheadbeg, o primeiro Dáil reuniu-se na Mansion House em Dublin, onde havia promulgado em 1916 a Proclamação de independência, emitindo uma nova Declaração de Independência, exigindo a evacuação das forças armadas britânicas, e convidando as “nações livres do mundo” para reconhecer a independência da Irlanda.