Leia as afirmativas a seguir, referentes ao
processo de alienação, e assinale a correta.

Escolher uma resposta.







a. Segundo Marx, alienação é o processo em que o
homem transfere suas potencialidades para
o produto, por isso o produto passa a não pertencer mais àquele que o produz
e sim ao que compra a mão de obra do trabalhador.











b. não se pode identificar o processo de
alienação nas relações trabalhistas, pois nestas, todo o produto produzido
pelo trabalhador leva consigo parte da identidade e da criatividade do
trabalhador que o fez.










c. Alienação é a consequência do trabalho pensado
e refletido, fruto da construção da relação harmônica entre empregados e
empregadores.










d. O processo de alienação é a transformação da
matéria-prima em produto a ser vendido pelo capitalista, esse produto
identifica aquele que o produz, por isso o produto
pertence ao operário.











e. Visto que no significado do termo alienar
aparecem termos como separar, dar aposse de algo para alguém ou até mesmo
transferência, na teoria de Marx alienação implica um processo de
exteriorização da criatividade humana no processo de produção.











1

Respostas

2014-06-06T13:49:44-03:00
Para Marx, a alienação refere-se a uma situação resultante dos fatores materiais dominantes da sociedade, caracterizada por ele sobretudo no sistema capitalista, em que o trabalho humano se processa de modo a produzir coisas que imediatamente são separadas dos interesses e do alcance de quem a produziu, para se transformarem, indistintamente, em mercadorias.
Marx, situando o homem na raiz da história (o homem concreto, que define com o trabalho sua relação com seus semelhantes e com a natureza), inverte a dialética hegeliana. De acordo com a dialética de Marx, o processo de alienação leva o ser genérico do homem -- expresso pelo trabalho -- a converter-se em instrumento de sua sobrevivência, o que ocorre, primeiro, na relação do produtor com o produto e, em seguida, na relação do produtor com os consumidores do produto. A alienação transforma o operário em escravo de seu objeto, mas o processo não se detém aí, já que o trabalho é mercadoria que produz bens de consumo para outrem. Na verdade, ocorre a alienação do homem perante o próprio homem: ao produzir um bem que não lhe pertence, o homem propicia o jugo daquele que não produz sobre a produção e o produto, deixando assim que o outro, alheio à produção, se aproprie dela.

Dá-se assim a "reificação" ou coisificação social, ou seja, a conversão de todas as relações sociais em formas de mercadorias, que abrangeriam o próprio homem, desse modo já submerso na fantasmagoria das relações entre as coisas. Sintetizando-se o problema, a alienação seria ocasionada pela divisão de trabalho e, de outro lado, pela separação entre o trabalho e o produto dele resultante. Os reflexos alienatórios seriam inevitáveis tanto na filosofia como nas instituições políticas e sociais, na religião, na literatura e nas artes.
1 5 1