Leia o poema de Oswald de Andrade e responda as questões:

Pronominais

Dê-me um cigarro/ Diz a gramática

Do professor e do aluno/ E do mulato sabido

Mas o bom negro e o bom branco/ Da Nação

Brasileira

Dizem todos os dias/ Deixa disso camarada

Me dá um cigarro (Oswald de Andrade)



Questão 01: Identifique no poema de Oswald de Andrade um exemplo de colocação pronominal de acordo com a norma culta e outro de acordo com a língua informal. Em seguida, explique o uso desses pronomes encontrados, informando se há próclise, mesóclise ou ênclise.



Questão 02: Como podemos justificar o “erro” de colocação pronominal na poesia de Oswald de Andrade?

2

Respostas

2014-06-18T18:29:19-03:00
1- Informal: "Me dá um cigarro" utilizaçao de próclise e que não é permitido de acordo com a gramatica brasileira por iniciar a frase com um pronome. Formal: "Dê-me um cigarro" utilização de ênclise que está de acordo com a norma culta da gramática brasileira. 2- O "erro" pode ser justificado de acordo com a norma gramatical de que não se pode iniciar uma frase com pronomel
4 3 4
2014-06-18T18:35:33-03:00
 1- Uma colocação pronominal na forma culta: Dê-me um cigarro (ênclise)
Uma colocação pronominal na língua informal: Me dá um cigarro (próclise)

2- Oswald de Andrade cometeu esse "erro" pois ele queria falar como as pessoas normalmente, usando o pronome oblíquo átono iniciando a frase - o que é gramaticalmente errado.
4 4 4
Pelo que estudei, acho que está certo !
hum muito obrigado bem interessante sua colocação
nuss .. nos tava no mesmo barco rsrsrs
hum
ahh, foi mal, a minha rsposta tá meio errada. O erro é justificado pala norma culta: de que não se pode iniciar uma frase com pronome oblíquo átono ! :P