Respostas

2014-06-26T20:46:28-03:00
O romance “Os miseráveis” é muito comovente e emocionante. Pois narra a triste história de Jean Valjean, um homem muito pobre que para salvar a família da fome é forçado a roubar um simples pão. Desde então é condenado e preso pela polícia. Porém, quando está terminando de cumprir a pena ele foge e acaba sendo condenado novamente. Fez isso algumas vezes e infelizmente passou 19 anos preso por ter roubado apenas um pão. Ao ganhar a liberdade ele sai na cidade à procura de um lugar para dormir e se alimentar. Entretanto, é expulso de todas as hospedarias, pois os donos o consideravam como um dos piores bandidos já existentes. Com frio e fome ele bate à porta da casa de um bispo que o acolhe com dedicação, por mais que soubesse de quem se tratava. Jean Valjean rouba castiçais e alguns talheres do bispo. Mas, logo depois é pego pela polícia que o leva até a casa do bispo. Este por sua vez, mente dizendo que havia dado os objetos para o hospede e o perdoa. Arrependido, Jean Valjean percebe o quanto é hipócrita e decide praticar a honestidade e o bem ao próximo. Na Alemanha ele se torna prefeito e dono de uma fábrica. Embora fosse rico sempre foi procurado da justiça pelo inspetor Javert. Um homem muito severo e dedicado à profissão que exercia. Porém Jean sempre escapava das emboscadas, pois era habilidoso e forte. Quando mudou de identidade e passou a se chamar Madeleine, conheceu uma mulher chamada Fantine. Ela tinha uma filha chamada Cosette, a qual morava com a família dos Thénardier, pois sua mãe não tinha condições financeiras para criá-la. Cosette trabalhava na casa dos Thénardier como se fosse uma escrava. Apanhava e era humilhada pelas filhas do casal. No entanto, sua mãe não sabia. Certo dia Fantine faleceu e Jean Valjean como havia prometido para ela foi à busca de Cosette. Chegando lá, leva a menina para morar consigo. Jean passou a criar Cosette e a considerá-la como filha, oferecendo-lhe carinho e amor paterno. Cosette com o tempo conheceu um rapaz com o qual se casou anos depois. Seu pai adotivo Jean, passou a morar sozinho. De tempos em tempos, era visitado pela filha e o marido. Contudo a ausência da filha durante alguns meses o fez adoecer fortemente. Sabendo disso Cosette foi visitá-lo. Porém, ao chegar lá, ele estava quase morrendo. Mas, com a presença da filha sentiu-se aliviado e morreu em seus braços. Em seu túmulo estava apenas escrito em uma pedra sem identificação a seguinte frase: “Ele dorme. Embora a sorte lhe tenha sido adversa. Ele viveu. Morreu quando perdeu seu anjo; Partiu com a mesma simplicidade; como a chegada da noite após o dia”.
3 4 3