Respostas

2014-06-29T20:32:45-03:00
Esse processo ocorreu na Europa, no século III em diante. Colonos se punham sob o jugo de proprietários de terra, rurais, pois a opressão que suportavam não lhe davam outra opção. Foi contemporâneo ao fim do Império Romano, que deixou de existir, e, com ele, o poder central. Isso possibilitou o surgimento de várias nações, e também o trabalho nas propriedades rurais. Parte da colheita era do colono; a maior parte era do proprietário, não raro a realeza ou assistentes militares renomados.
1 5 1
A melhor resposta!
2014-06-29T22:57:45-03:00

Esta é uma Resposta Verificada

×
As Respostas verificadas contém informações confiáveis, garantidas por um time de especialistas escolhido a dedo. O Brainly tem milhões de respostas de alta qualidade, todas cuidadosamente moderadas pela nossa comunidade de membros, e respostas verificadas são as melhores de todas.
Prezada,

O processo de ruralização está ligado ao fim do império romano e início da Idade Média, no que se considera como o feudalismo, sistema associado à Idade Média, sendo uma forma de organização política, social e econômica. O início da Idade Média ocorre com  deposição do último soberano do Império Romano do Ocidente, em 476 d. C. O final do período ocorre com a tomada de Constantinopla (hoje Istambul) pelos otomanos em 1453.

Para analisar as consequência do fim do império romano é interessante analisar quem eles foram. Roma foi um dos impérios mais duradouros que já houve. Eles possuíam características que ainda hoje nos impressionam.

Imagine, por exemplo, que as cidades recebiam águas trazidas de fontes puras distantes, das montanhas, chegando através dos aquedutos. Os cidadãos mais importantes (e ricos) recebiam água encanada em casa. Os mais pobres podiam beber água nas diversas fontes da cidade, adornadas com belas estátuas. Havia banheiros públicos, nos quais embaixo dos sanitários corria água que levava os dejetos para longe das cidades (saneamento básico, coisa que muitas cidades não possuíam). Além disso, havia as termas, locais chamados termas com várias piscinas, com diferentes temperaturas (escravos aqueciam a água nas temperaturas desejadas). Todos os cidadãos romanos podiam (e deviam) tomar banho, frequentemente, nas termas, havendo áreas para homens e outras para mulheres. Nesse sentido, os romanos gostavam de se diferenciar dos bárbaros em razão de serem limpos e não cheirarem tão mal como os outros povos.

Inclusive, havia o uso da energia hidráulica, a força dos rios, para movimentar engrenagens que moíam o trigo, auxiliando a fabricar o pão mais barato da Antiguidade. Imagine, ainda, que nos estádios se distribuía pão gratuitamente enquanto eram exibidos espetáculos extraordinários, inclusive, enchiam o coliseu com água para realizarem batalhas com navios de verdade. A água era também rapidamente retirada para os espetáculos com os gladiadores, pessoas dos mais diferentes raças e povos, bem como diversos animais.

Nas cidades que criavam ou nas regiões que conquistavam, eles desenvolviam cidades com infraestrutura semelhante à Roma, utilizando uma espécie de cimento, feito de cinzas vulcânicas e outros elementos. Havia uma extensa rede de estradas, que favoreciam o comércio, de modo que a capital do império Romano reunia a melhor engenharia, tecnologia, conhecimento, poesia. Muitos enviavam pessoas para estudarem em Roma e aprenderem um pouco do enorme conhecimento acumulado em Roma, aproveitado da Grécia e de muitos outros povos. Dentro do império, havia relativa paz, a Pax Romana, com base no forte exército e autoritarismo de Roma.

Com a queda de Roma, a Europa foi invadida por diversas tribos bárbaras, que mataram, estupraram, saquearam e destruíram quase tudo o que havia. Com a destruição dos aquedutos houve a ausência da água encanada nas cidades, a população urbana diminuiu drasticamente em razão de que as pessoas fugiram em direção ao campo e aos locais em que havia rios e lagos. Bibliotecas foram destruídas, sábios e professores foram mortos, epidemias se espalharam. Houve o abandono das cidades, a falência da atividade comercial, o fechamento do Mar Mediterrâneo por tribos bárbaras, dificultando o acesso aos produtos de outras regiões.

A Europa mergulhou na "Idade das Trevas", pois as pessoas olhavam as ruínas das cidades e viam banhos públicos, encanamentos de água, obras de arte e de engenharia extraordinários, dentre outras características. Comparavam a sujeira, a fome, o sofrimento, o trabalho excessivo e sem perspectivas de melhoria, a insegurança, dentre outras coisas, percebendo que viviam muito pior ao se compararem a época dos romanos. O número de pessoas alfabetizadas diminuiu muito. O de escritores, ainda mais.  As pessoas, desesperadas frente às duras condições de vida e às constantes violências às quais eram submetidas, buscavam a igreja para conseguir paz, mesmo que fosse na vida após a morte.  Buscando garantir sua vaga no céu, doavam seus bens e suas terras para os padres e religiosos, de modo que a igreja católica chegou a ter mais de 60% das terras europeias.

Enfim, conforme bem retratado no filme (e livro) "O nome da Rosa", as consequências da queda de Roma foram séculos de ignorância, misticismo, selvageria, sofrimento, dor, desespero e fome.

A herança de Roma e da Grécia foi redescoberta no Renascimento, nas qual os artistas e sábios buscavam inspiração nas obras antigas dos romanos, que foram recuperadas ao serem retraduzidas de livros em árabe encontrados em bibliotecas das cidades reconquistadas pelos cristãos nas terras que hoje são parte do território espanhol.

Sugiro, para complementar essa resposta, que veja os vídeos " A História do Mundo em Duas Horas "  e " Construindo um Império Roma ", facilmente encontrados no you...tube.

Bons estudos!
2 5 2