Respostas

2014-07-17T22:17:19-03:00
 Federação Russa possui importantes recursos naturais e humanos, que constituem forte potencial de desenvolvimento econômico. 
O povo russo em geral(partir da década de 1950), vivia bem melhor que os cidadãos de países capitalistas há muito orientados para o mercado, como o México, a Índia, o Brasil ou a Argentina. A taxa de analfabetismo era virtualmente zero, o ensino superior era muito bom e economicamente acessível; o desemprego quase não existia, a igualdade entre os gêneros era uma das mais desenvolvidas do mundo, com as mulheres a chegar por vezes mais longe do que os homens nas suas carreiras, especialmente na ciência. Muitas famílias possuiam automóveis, TVs, gravadores de cassetes e podiam viajar de avião pelo menos uma vez por ano até às áreas balneares famosas do mar Negro. Mas a produção e distribuição de produtos de consumo era relativamente ineficiente e havia uma falta de habitação muito pronunciada em muitas das áreas urbanas, se bem que fossem raras situações de habitação precária ou insalubre. 
A Rússia possui mais graduados acadêmicos do que qualquer outro país da Europa 
Contudo, desde a desintegração da União Soviética,o caminho para a estabilização macroeconômica tem sido longo e difícil.A partir daquele ano, o país sofreu severa contracção econômica ao longo dos cinco anos seguintes, enquanto o governo e o parlamento divergiam sobre a implementação das reformas. A base industrial do país foi seriamente atingida. O país tem passado por diversas crises, destacando-se a crise financeira de 1998. 
A economia começou a se recuperar em 1999, entrando numa fase de rápida expansão. 
Esta recuperação, aumentou a confiança das empresas e dos investidores para a segunda década de transição. 
A Rússia permanece fortemente dependente de exportações de matérias-primas, em particular do petróleo, do gás natural, de metais e de madeira, que correspondem a mais de 80% do total das exportações, o que deixa o país vulnerável às oscilações dos preços do mercado mundial. Em anos recentes, no entanto, a economia também foi impulsionada pela crescente procura interna, que cresceu cerca de 12% ao ano entre 2000 e 2004, o que mostra o vigor do seu mercado interno.