Respostas

2014-07-22T16:04:05-03:00
A princípio compreendo que não há motivos para que se faça guerra, contudo historicamente se estende um efetivo confronto entre Israelenses e palestinos que buscam justificar todos esses atos em suas raízes culturais e religiosas, justificativa infundada, a meu ver, pois não se busca paz com guerra. 

Resumidamente os trajeto que culminou nesse processo se circunscreve no apego cultural e monoteísmo dos judeus que quando perseguidos rumaram para a chamada Terra Prometida, em especial após o Holocausto, na II Guerra Mundial. Os palestinos que viviam lá naquele momento tiveram de dividir espaço com os judeus conduzidos pelo sionismo, movimento de libertação nacional, que, em razão desse contexto, é definido por seus detratores como discriminador.
 
Com isso, temos que ambos os lados apresentam legitimidade em suas reivindicações, isto é registros bíblicos, ligações ancestrais, entre outros elementos que comprovam ligações de ambos os povos com o território em questão. Trata-se portanto de um confronto onde todos tem razão e por não sabê-la usar, pecam por  perdê-la, e assim a violência tem se tornado um instrumento de manutenção de poder.

Enfim, como bem sabemos as guerras são sempre mediadas por intencionalidades políticas, basta que queiram para que tudo se resolva, porém, e até que isso não aconteça reinará a violência.

 





1 5 1