Leia o texto antes de responder

É a vaidade, Fábio, nesta vida
Rosa, que de manhã lisonjeada,
Púrpuras mil, com ambição dourada,
Airosa rompe, arrasta presumida.
É planta, que de abril favorecida,
Por mares de soberba desatada,
Florida galeota empavesada,
Sulca ufana, navega destemida.

É nau enfim, que em breve ligeireza,
Com presunção de Fênix generosa,
Galhardias apresta, alentos preza:

Mas ser planta, ser rosa, ser nau vistosa
De que importa, se aguarda sem defesa
Penha a nau, ferro a planta, tarde a rosa?



e este também

Que és terra Homem, e em terra hás de tornar-te,
Te lembra hoje Deus por sua Igreja,
De pó te faz espelho, em que se veja
A vil matéria, de que quis formar-te.

Lembra-te Deus, que és pó para humilhar-te,
E como o teu baixel sempre fraqueja
Nos mares da vaidade, onde peleja,
Te põe à vista a terra, onde salvar-te.

Alerta, alerta pois, que o vento berra,
E se assopra a vaidade, e incha o pano,
Na proa a terra tens, amaina, e ferra.

Todo o lenho mortal, baixel humano
Se busca a salvação, tome hoje terra,
Que a terra de hoje é porto soberano.


Os dois poemas apresentam aspectos em comum, como o tipo de composição, as imagens e o tema. Compare-os e responda:
a) Que tipo de composição poética foi empregada nos dois textos?
b) Os dois poemas são ricos em imagens. Uma das imagens do texto I é criada pela metáfora da nau ( embarcação ). Destaque do texto II um verso que corresponde a essa mesma imagem.

1

Respostas

2013-08-10T12:39:36-03:00
A)Soneto. Porque é composto por dois quartetos e dois tercetos.
b)Na proa a terra tens, amaina, e ferra.
13 4 13