(Geekie ­ 2013)

Capitão da Cooperifa (Cooperativa Cultural da Periferia), [Sérgio] Vaz assistia a um jogo na várzea quando foi provocado por um jogador, com o fardamento já surrado: “Aê, mano, por que vocês da Cooperifa não descolam uns jogos de camisas pra nós?”

De bate­pronto, Vaz, conhecedor do dialeto falado na periferia, devolveu a bola no peito do boleiro: “Arrumo, mano, é só o pessoal do time colar [frequentar] nos saraus da Cooperifa e nós vamos correr atrás de camisas. A rapa aí aceita ir lá ouvir poesia?”

CARAMANTE, A. Várzea Poética. In: Folha de S. Paulo, 10 out. 2013.

O trecho faz referência à iniciativa cultural do poeta Sérgio Vaz de misturar futebol de várzea com poesia na periferia de São Paulo em saraus do “Várzea Poética”. O emprego que o artista faz da linguagem coloquial tem como função

2) mostrar a poeticidade no padrão coloquial.

3) diferenciar­se socialmente do interlocutor.provocar enfrentamento entre grupos sociais.

4) facilitar o contato com o seu interlocutor.

5) ironizar o nível cultural dos atletas de várzea.

6) provocar enfrentamento entre grupos sociais

RESPOSTA?




1

Respostas

2014-08-25T15:05:21-03:00
Facilitar o contato com o seu interlocutor.
7 4 7
Exato. Está certinho...obrigado.
obrigada
certo. facilitar o contato com o interlocutor
facilitar o contato com o seu interlocutor.