(Geekie ­ 2014)
Num dia quente, em 1961, pescadores pernambucanos perceberam uma movimentação em alto­mar: barcos com bandeira da França fisgavam lagostas ilegalmente em águas brasileiras. A Marinha foi alertada, flagrou a contravenção e expulsou os franceses do país. O problema é que eles se recusaram a ir embora – dando início ao embate conhecido como Guerra da Lagosta, que durou dois anos.
O conflito não teve tiros. Ficou restrito ao campo diplomático e, em certos momentos, ganhou contornos surreais. Para justificar a pesca na região, o governo francês alegou que a lagosta é um peixe “porque se desloca aos saltos”. A resposta do comandante brasileiro Paulo de Castro Moreira Silva? “Por analogia, o canguru é uma ave.”
Enquanto os diplomatas discutiam as classes animais, navios pesqueiros franceses foram apreendidos pela Marinha. Em represália, a França enviou dois navios de guerra para escoltar seus pescadores. No sábado de Carnaval de 1963, a Força Aérea Brasileira deslocou quatro P­16 Tracker para Recife. Os aviões de guerra vigiaram os navios franceses por 17 dias, até que eles deixassem as águas brasileiras.
TRIGUEIRINHO, L. O dia em que a lagosta virou peixe. Revista TAM nas
Nuvens, 2014.
No texto, relata­se o embate entre Brasil e França por conta do uso de território marítimo brasileiro usurpado por franceses para pesca de lagosta. Durante essa disputa, houve até a utilização de argumentação baseada em

2

Respostas

2014-08-26T10:47:21-03:00
Raciocínio por comparação
20 4 20
kkkk
salvando o ed de geral kk ultimo dia hoje kk
valeuuuu
é nois no ED
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
2014-08-27T00:00:15-03:00
Raciocínio por comparação
4 5 4