Respostas

2014-09-04T13:57:29-03:00
A religião persa (o Zoroastrismo ou Mazdeísmo) era uma religião dualista, ou seja, acreditavam em dois deuses, um do "bem" e outro do "mal". Foi desenvolvida por Zaratustra (ou Zoroastro para os gregos) e por volta do século VI a.C. se tornou a religião predominante no Império Persa (devemos lembrar que predominante para os persas, pois por questões religiosas que serão explicadas abaixo eles deixavam os povos conquistados seguirem sua religião). Zaratustra, segundo a lenda, viveu muitos anos isolado, por meio da benção divina de Ormuzd ganhou sabedoria e viveu como divulgador e testemunho do Mazdeísmo (o que nos leva a alguns casos o relacionar com Jesus Cristo. Devemos lembrar que os judeus conviveram e tiveram uma forte "amizade" com os persas após os mesmos libertarem os judeus do Cativeiro da Babilônia).

Para os persas, o Universo é um palco de guerra entre o deus Ormuzd (Ahura-Mazda ou Oromasdes, segundo os gregos), criador e fonte do bem e o deus Arimã, personificação do mal. Para ir para o céu, deveriam cultuar Ahura-Mazda e seguir o bem e espalhar o bem pela Terra (por isso o Império Persa conquistou tantas terras e deixou seus povos seguirem sua religião; todos os outros povos conquistadores mantinham as áreas dominadas sob sua religião e idioma, causas de muitas guerras; os persas queriam impedir guerras, por isso, se tivessem um Império Universal que funcionasse deixando seus povos seguirem sua religião, não haveria mais guerras).

Mas os persas também reconheciam que no bem existe maldade e na maldade existe bem (o que lembra yin yang, do taoísmo). Os ensinamentos sobre igualdade, justiça e bondade estão no livro persa Zend-Avest, ou Avesta.

Espero ter ajudado e bons estudos ;) (Na imagem, Ahura-Mazda, personificação do bem)