Sigmund Freud agregou como parte de sua extensa obra, uma teoria sobre o desenvolvimento psicossexual humano, definindo estágios de amadurecimento. Cada estágio e sua sequência é universal. Das conseqüências da interação do ser humano com o mundo à sua volta em cada estágio, resultariam características de personalidade de cada pessoa. Logo, as crianças e adolescentes com as quais lidamos na escola, estão em processo de formação de sua personalidade e nossa interação com eles nesse processo também afeta a forma como eles se constituem com pessoa. É preciso conhecer os efeitos de cada fase dentro da história de vida da criança para compreendê-la e lidar de forma mais adequada com ela. Assim, avalie seus conhecimentos sobre os estágios assinalando a resposta correta:

Alternativas 1 - Na Fase Oral, a criança sente tensão energética na boca, a qual não pode ser descarregada pela ação oral sobre qualquer objeto levado à boca, pois o prazer gerado poderá ser traumático. 2 - Na Fase Fálica aumenta a sensibilidade genital e ocorre o conhecido Complexo de Édipo. No caso do menino, ele desejaria obter prazer de sua fonte primária de estimulação oral, o pai, mas a mãe passa a ser vista como aquela que possui o pai, despertando o ódio no menino por ela e depois uma identificação com seu poder. 3 - Na Fase Anal, um excesso de cobranças dos educadores pode vir a gerar fixação de energia nesse estágio, fazendo da pessoa possivelmente alguém controlador, excessivamente organizado. 4 - Na Fase de Latência, resolvido o conflito edípico, a criança diminuiria sua tensões de ordem sexual e afirmaria sua identidade sexual, se aproximando de pessoas do sexo oposto e começando a namorar. 5 - Na Fase Genital, tendo se desenvolvido bem nas demais fases, retorna a tensão sexual e a pessoa pode regredir tranquilamente à fase oral ou anal, agindo no mundo de um jeito ou de outro para sempre.

1

Respostas

2013-09-02T20:29:37-03:00
É a opção 3 - Na Fase Anal, um excesso de cobranças dos educadores pode vir a gerar fixação de energia nesse estágio, fazendo da pessoa possivelmente alguém controlador, excessivamente organizado.