Respostas

A melhor resposta!
2013-09-24T15:03:39-03:00
A crise do setor cafeeiro, a partir de 1929, veio acompanhada de um discreto surto industrial iniciado no período da I GM, chamada industrialização por substituição de importações. A crise no setor cafeeiro contriubuiu para o crescimento da industria nacional na medida em que esse setor serviu como alternativa imediata ao primeiro.

A industria passou a absorver os lucros, investimentos e mão-de-obra do setor cafeeiro, e contou também, com a grande quantidade de capital acumulado pelo setor cafeeiro como capital inicial ao seu desenvolvimento e expansão
.
Essa industrialização deu-se com maior intensidade na região sudeste, orquestrada pelas camadas médias e alta das cidades, estando também, mais atrelada ao antigo grupo da oligarquia do Oeste Paulista, mais moderna e desenvolvida, explicando dessa forma, uma industrialização mais intensa e eficiente no estado de São Paulo.

No período que se seguiu ao crash de 1929 e que compreende o período de crise do setor cafeeiro, o presidente em atividade, Getúlio Vargas, dedicou grande atenção aos setores de mineração e petróleo e também à industrialização de base, criou, em seu governo, grandes indústrias e companhias relacionadas ao fornecimento da infra-estrutura básica à instalação de um setor industrial consolidado, como a PETROBRAS e a CSN.
2 5 2
2013-09-24T15:21:20-03:00
A crise do setor cafeeiro, a partir de 1929, veio acompanhada de um discreto surto industrial iniciado no período da I GM, chamada industrialização por substituição de importações. A crise no setor cafeeiro contriubuiu para o crescimento da industria nacional na medida em que esse setor serviu como alternativa imediata ao primeiro.

A industria passou a absorver os lucros, investimentos e mão-de-obra do setor cafeeiro, e contou também, com a grande quantidade de capital acumulado pelo setor cafeeiro como capital inicial ao seu desenvolvimento e expansão
.
Essa industrialização deu-se com maior intensidade na região sudeste, orquestrada pelas camadas médias e alta das cidades, estando também, mais atrelada ao antigo grupo da oligarquia do Oeste Paulista, mais moderna e desenvolvida, explicando dessa forma, uma industrialização mais intensa e eficiente no estado de São Paulo.

No período que se seguiu ao crash de 1929 e que compreende o período de crise do setor cafeeiro, o presidente em atividade, Getúlio Vargas, dedicou grande atenção aos setores de mineração e petróleo e também à industrialização de base, criou, em seu governo, grandes indústrias e companhias relacionadas ao fornecimento da infra-estrutura básica à instalação de um setor industrial consolidado, como a PETROBRAS e a CSN.