Os novos ideólogos da modernização, a partir da dicotomia tradicional-moderno, como antigamente, apresentam-nos a sociedade ocidental industrializada, tecnologicamente avançada e moderna como um modelo ideal a ser seguido pelos países da periferia. No seu entender, a história é uma sucessão de etapas, ou estágios graduais que levam necessariamente ao desenvolvimento. Atualizando a teoria da modernização para os dias atuais, encontram-se os mesmos argumentos funcionalistas para explicar a exclusão social: os "integrados" no mundo globalizado são aqueles que conseguem incorporar atitudes, valores e novos padrões de comportamentos mais adequados ao usufruto das oportunidades que as sociedades capitalistas oferecem a todos os seus cidadãos. As variáveis psicossociais novamente são consideradas as determinantes fundamentais da inclusão social, sendo a educação, a principal delas. A Internet transforma-se numa palavra mágica com força persuasiva: todos devem "integrar-se" à rede mundial para participar da era global. O texto acima foi extraído da introdução do artigo científico Globalização e Exclusão: A Dialética da Mundialização do Capital, de Tania Steren dos Santos, e apresenta características específicas deste gênero da esfera acadêmica. As abordagens demonstram o grau de focalização, no momento de elaboração do texto/parágrafo. Com base nesta afirmação e analisando as palavras grifadas, selecione a abordagem predominante e justifique sua escolha.

1

Respostas

2013-09-24T21:10:23-03:00
Bom, podemos afirmar que nesse mundo totalmente em processo de globalização as pessoas se interagem mais com a tecnologia, e as pessoas que conseguem seguir nesse ritmo acelerado são os ''integrantes'', já os que não conseguem, são excluídos desse processo rápido e ininterrupto de informações. Isso é o que o texto mostra e enfatiza, pois isto ( a globalização) reflete no modo como as pessoas vivem, mudando totalmente a rotina de muitas delas.