Respostas

2013-10-02T16:20:40-03:00
A república velha começou em 15 de novembro de 1889 com a proclamação da república e a derrubada da monarquia, depois disso Marechal Deodoro assumiu como primeiro presidente, após ele, em 1891, assumiu Floriano Peixoto, nesse mesmo ano foi promulgada a 1a constituição brasileira, trazendo como marcas o voto aberto, excluindo mulheres e analfabetos do direito de votar.
Entra em vigor a política do café-com-leite, que alternava o governo entre mineiros e paulistas, com isso a região sudeste começou a crescer financeiramente atraindo muitos imigrantes italianos, espanhóis e etc.
Foi uma época muito marcada por revoltas violentas. Acabou em 1930 com um golpe liderado por Getúlio Vargas.
2013-10-02T16:33:27-03:00
Ao final da década de 1880, a Coroa imperial já não ajustava perfeitamente ás novas necessidades de um país que havia se modificado muito, principalmente com a substituição da secular escravatura pelo trabalho livre (1888)
Alguns setores novos da sociedade, que não participavam do governo imperial, chegaram á conclusão de que a monarquia devia ser eliminada e substituída por um governo republicano. Assim, uma parte da elite proprietária de terras, sobretudo das áreas mais novas de expansão do café, aliada ao exército, depôs o último ministérios do imperador e proclamou a república.
Depois do primeiro governo republicano, que foi chefiado pelos militares, o poder passou a ser controlado pelos cafeicultores de São Paulo e de Minas. Embora num primeiro momento os cafeicultores paulistas e mineiros tenham disputado o poder com osa militares, a partir de 1894 e até 1930, estiveram solidamente estabelecidos no governo, dirigindo o país de acordo com seus interesses exclusivos.
No decorrer desse período (1889-1930), conhecido atualmente como Primeira República, ou República Velha, houve um considerável desenvolvimento da indústria brasileira, que se concentrou principalmente nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Mas, apesar disso, o país manteve muitas de suas características anteriores: sua economia continuou dependendo em grande parte da produção agrícola destinada a exportação e as melhores terras de cultivo permaneceram monopolizadas pelos grandes proprietários.
As populações rurais sem terras, ou possuidoras de pequenas propriedades, continuaram vivendo na dependência da oligarquia rural. Esta, constituída por uma minoria de grandes proprietários de terra, dominava inteiramente suas localidades e controlava os governos municipais. Acima de cada oligarquia regional encontrava-se a poderosa elite de fazendeiros de café, no controle do governo federal.