Respostas

2013-11-15T20:09:02-02:00
A) Jânio Quadro atuou sobre um governo bastante controverso, ele, por exemplo, declarava-se anti-comunista e, ainda assim, enviou o seu vice, Jango, a China Comunista para reforçar relações políticas. A população já se encontrava descontente com tais medidas e então ele decidiu renunciar ao cargo na esperança de que a população seria mobilizada ao seu favor (teria "pena" dele) e assim ele retornaria bem mais fortalecido. #SQN

b) Segundo alguns analistas políticos e representantes da sociedade civil, Jânio adotou posturas autoritárias em diversas situações. Seu governo foi marcado por insatisfações de vários setores do funcionalismo público, materializadas através de greves e protestos nas proximidades de seu gabinete, aos quais quase sempre respondia com demissões em massa. Jânio também demonstrou posturas inflexíveis ante a manifestações de movimentos sociais, como o MST. Criou a Guarda Civil Metropolitana para, segundo ele, reforçar o policiamento na cidade, mas seus adversários o criticaram duramente por, na visão deles, utilizá-la como mais um de seus instrumentos de repressão. Ao longo de seu mandato afastou-se diversas vezes do cargo para cuidar tanto de sua saúde, já abalada, quanto da de sua mulher, Dona Eloá Quadros (falecida em 1990). Ao fim da gestão encontrava-se desgastado perante a opinião pública: apenas 30% dos paulistanos aprovaram sua administração [carece de fontes] , além do vexame de ter sido acusado, pelo à época vereadorWalter Feldman (PMDB), de manter uma conta bancária na Suíça. Nas eleições de 1988, embora João Mellão Neto (PL) e Marco Antônio Mastrobuono (PTB), que foram integrantes de seu secretariado, concorressem à sucessão, apoiou o candidato João Oswaldo Leiva, do PMDB (lançado pelo então governador Orestes Quércia). Contudo, a vitória de Erundina (PT) em tal pleito configurou-se em uma dura derrota para Jânio Quadros, pois a mesma foi eleita amparada quase que exclusivamente por uma plataforma de esquerda antijanista. 

c) Após a renúncia de Jânio, naturalmente quem deveria assumir o poder era o seu vice, João Goulart, que estava em visita a China e ao qual os militares faziam clara oposição. Dessa forma, houve a formação de dois grupos distintos, de um lado o grupo que defendia a sua posse, baseado nos princípios da Constituição e, por outro lado, o grupo dos Militares, que relacionavam Jango ao comunismo. 
Para resolver o impasse e chegar-se a um acordo, foi bolada, meio que às pressas, uma emenda constitucional que preconizava, em suma, o regime parlamentarista. Era a solução imediatista para o problema. João Goulart não teria plenos poderes para governar, suas ações “subversivas” estariam contidas, na visão dos militares e a Constituição seria respeitada. Todos seriam atendidos.

Espero ter ajudado.
7 4 7