O crescimento do Brasil nos mercados internacionais passa também, de alguma forma, pelo crescimento das empresas brasileiras. Uma grande candidata a grande empresa, dentro deste contexto, são as empresas “X” do empresário Eike Batista. Leia atentamente a reportagem reproduzida a seguir que trata do tema: Investidores estrangeiros fazem acordo para controlar porto da MMX Acordo definitivo sobre Superposto Sudeste será concluído em 4 semanas.
Negociação envolve a injeção de US$ 400 milhões.
A MMX, mineradora do empresário Eike Batista, anunciou nesta terça-feira (10) ter assinado um memorando de entendimento (acordo preliminar) com a trading Trafigura e a subsidiária do fundo Mubadala Development, de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes. Segundo a MMX, nas próximas quatro semanas deverá ser assinado o acordo definitivo que permitirá que as companhias virem "acionistas controladores e operadores, em conjunto, do terminal portuário de movimentação de minério de ferro, localizado no Estado do Rio de Janeiro, conhecido como Superporto Sudeste." A mudança de controle e operação se refere apenas ao porto, conforme reiterou a assessoria de imprensa da mineradora. [...] De acordo com comunicado da mineradora, o Superporto Sudeste começou a ser construído em julho de 2010, projetado para operar navios capesize, com expectativa de iniciar suas operações em meados de 2014 e com plano de expansão de sua capacidade de movimentação para 100 milhões de toneladas por ano.A respeito dos temas tratados na reportagem, é correto afirmar:
1 Com o crescimento da economia brasileira não necessitaremos exportar o mesmo volume de minérios quanto no passado. Sendo assim, compensaremos a incapacidade de exportarmos com o aumento da demanda interna.
2-O fundo de investimentos de Abu Dhabi busca meios de se inserir no negócio de mineração. Este é um negócio que, apesar de não ser estratégico pode gerar muitos lucros.
3-Um dos motivos pelo qual a MMX está com dificuldades para concluir o Superporto do Sudeste é que existem muitos outros portos no Brasil que dão conta da demanda. Em outras palavras, não precisamos tanto assim de mais um porto.
4-As empresas “X” têm sofrido com a falta de fluxo de caixa. Como grande parte das iniciativas da empresa estão ainda em fase pré-operacional, ela ainda não produz receita, o que torna sua posição mais complicada.
5-A MMX tem sido prejudicada pela falta de cooperação do governo que não têm buscado formas de ajudá-la em suas dificuldades financeiras.

1

Respostas

2013-11-20T12:25:06-02:00
4-As empresas “X” têm sofrido com a falta de fluxo de caixa. Como grande parte das iniciativas da empresa estão ainda em fase pré-operacional, ela ainda não produz receita, o que torna sua posição mais complicada.
4 5 4
e isso mesmo, essa e a resposta certa parabens.
As empresas “X” têm sofrido com a falta de fluxo de caixa. Como grande parte das iniciativas da empresa estão ainda em fase pré-operacional, ela ainda não produz receita, o que torna sua posição mais complicada.
As empresas “X” têm sofrido com a falta de fluxo de caixa. Como grande parte das iniciativas da empresa estão ainda em fase pré-operacional, ela ainda não produz receita, o que torna sua posição mais complicada.
É essa resposta mesmo conferido - As empresas “X” têm sofrido com a falta de fluxo de caixa. Como grande parte das iniciativas da empresa estão ainda em fase pré-op
Resposta Correta.
As empresas “X” têm sofrido com a falta de fluxo de caixa. Como grande parte das iniciativas da empresa estão ainda em fase pré-operacional, ela ainda não produz receita, o que torna sua posição mais complicada.