Respostas

2013-11-24T22:53:02-02:00
  O objetivo principal desta unidade é esclarecer para que servia/serve o emprego das notações léxicas (os acentos agudo, grave e circunflexo, o trema e o til); apresentar as alterações introduzidas ao longo de sucessivas reformas e, principalmente, pelo Acordo de 1990; e explicitar as justificativas para as alterações. Pretende-se, com isso, disponibilizar para os consulentes o novo desenho para as chamadas regras de acentuação. 

     Na exposição, destaca-se o que está em vigor pelo Acordo 1990 e, sempre que necessário, chama-se a atenção para o que vigorava antes.

Para assinalar a sílaba tônica 

1.1. Acordo 1990

Permanecem as regras a seguir.

1.1.1 Proparoxítonas: xícara, lâmpada, hipopótamo

1.1.2 Proparoxítonas ocasionais (terminadas em ditongo crescente –ia,-io,-ie –ea, -eo, –ua,-uo, -ue, como em ânsia, armário, série, rédea, róseo, tábua árduo, tênue. Na pronúncia habitual são paroxítonas. Admite-se, no entanto, a prolação como palavras proparoxítonas.

1.1.3 Paroxítonas terminadas em
- um, -uns:álbum, álbuns
- x: cálix,córtex
- i(s): júri, lápis
- r: revólver, pulôver
- us: bônus,Vênus
- n: hífen , éden
- ã(s),ão(s): órfã, órgão, sótãos
- om,on(s): rádom, próton, prótons
- l: amável, consul
- ei(s): pônei(s)
- ps: bíceps, fórceps

1.1.4 Oxítonas e monossílabas tônicas terminadas em
- á(s): pá,atrás
- é(s): fé, através
- ê(s): você, mês
- i(s) e u(s) tônicos, precedidos de ditongo: Piauí 
- ó(s): pó, cipós
- ô(s): avô, compôs
- ém, -éns (com mais de uma sílaba):armazéns, também
- ú(s), í(s) precedidos de ditongo: tuiuiú, Piauí
- éis: pastéis, tonéis
- éu(s): céu, chapéus
- ói(s): mói, heróis

     A acentuação que indica a sílaba tônica das palavras é regida pelo critério da frequência: as palavras proparoxítonas são muito raras na língua, por isso são acentuadas; a maioria das palavras do português é paroxítona, e terminadas em -a, -e e -o; por isso dispensam acento gráfico. Já as oxítonas com as essas mesmas terminações, que, em conseqüência, constituem a minoria, são marcadas com acento gráfico. 

Para distinguir palavras tônicas de palavras átonas

2.1 Acordo 1990

Hoje em dia distingue-se apenas a forma verbal tônica pôr da preposição átona por:
O jogador tinha a intenção de pôr a bola por entre as pernas do adversário. 

2.2 Antes do Acordo 1990

Faziam-se as seguintes distinções:

-Coa(s): preposição com +artigo"a(s)"
-Côa(s): verbo "coar" (tu côas, ele côa); substantivo feminino " côa": ato ou efeito de coar
-Para: preposição
-Pára: verbo "parar"(Ele pára)
-Pelo(s), pela(s): preposição "per" +artigo "o(s)" e "a(s)"
-Pêlo(s): cabelo
-Pélo, péla(s): verbo “pelar”
-Pera: preposição “para” (arcaísmo)
-Pêra: fruta da pereira
-Pêra: pedra (arcaísmo)
-Por: preposição
-Pôr: verbo
-Polo(s): preposição"por" +artigo arcaico"lo(s)"
-Pólo(s): cada uma das regiões glaciais ou cada um dos pontos de um imã
-Pólo(s): gavião

Os acentos das palavras acima foram abolidos pelo Acordo de 1990, com exceção do acento circunflexo na forma verbal pôr, conforme já mencionado.

Para distinguir timbre (fechado x aberto)

3.1 Acordo 1990

- Acentua-se o ditongo –éu(s) (aberto) de palavras oxítonas para distingui-las de palavras com ditongo –eu(s) (fechado): céu x seu.
- Acentua-se o ditongo -éi(s) (aberto) de palavras oxítonas para distingui-las de palavras com ditongo -eis (fechado): fiéis x leis.
- Acentua-se o ditongo -ói(s) (aberto) de palavras oxítonas para distingui-las de palavras com ditongo -oi(s) (fechado): rói x boi. 
- Acentua-se a forma verbal pôde (passado) para diferenciá-la da forma pode(presente): Ontem ele pôde e hoje ele não pode mais?
- Acentua-se o substantivo fôrma para distingui-lo da forma verbal forma (Ele forma - presente do idicativo), e do substantivo forma (Esta fôrma de bolo tem uma formaesquisita.) (Acento facultativo) 
- Acentuam-se as formas verbais como amámos (passado) para distingui-las do presente amamos; dêmos (subjuntivo presente), para distinguir do indicativo demos.(Acento facultativo. Empregado em Portugal).

3.2 No passado 

Marcavam-se com acento circunflexo o e e o o tônicos fechados de palavras que possuíam homógrafas com e, o abertos: Espero que não sobre nada sôbre a mesa.
Todas as palavras a seguir tinham, pois, acento, para diferenciá-las de outra, com timbre aberto: acêrto, adôrno, apêgo, apêrto, chôro, êle, etc. Centenas e centenas de palavras.
Este acento – chamado diferencial – foi abolido no Brasil em 1971; Portugal não o empregava, conforme a norma ortográfica de 1945.

Nosso Formulário Ortográfico de 1943 manda(va) também acentuar os ditongos abertos em –éi e -ói de palavras paroxítonas, para distingui-las de palavras com -ei e –oi(fechados): assembléia x leia; bóia x boi. O acento nesse contexto foi abolido pelo Acordo de 1990, com o intuito de aproximar as duas normas ortográficas, a do Brasil e a de Portugal, uma vez que esta não prescrevia o acento no ditongo aberto em –éi , como em européia.