Respostas

A melhor resposta!
2013-04-21T19:22:43-03:00

Metonímia consiste em empregar um termo no lugar de outro, havendo entre ambos estreita afinidade ou relação de sentido.

 

Metáfora é a palavra ou expressão que produz sentidos figurados por meio de comparações implícitas. Ela pode dar um duplo sentido a frase. Com a ausência de uma conjunção comparativa.

 

Um paradoxo é uma declaração aparentemente verdadeira que leva a uma contradição lógica, ou a uma situação que contradiz a intuição comum. Em termos simples, um paradoxo é "o oposto do que alguém pensa ser a verdade".

 

Anacoluto, ou frase quebrada, é uma figura de linguagem que, segundo a retórica clássica, consiste numa irregularidade gramatical na estrutura de uma frase, como se começássemos uma frase e houvesse uma mudança de rumo no pensamento - por exemplo, através do desrespeito das regras de concordância verbal ou da sintaxe.

 

Antítese é uma figura de linguagem (figuras de estilo) que consiste na exposição de ideias opostas. Ocorre quando há uma aproximação de palavras ou expressões de sentidos opostos.

 

Hipérbole ou auxese é a figura de linguagem que incide quando há demasia propositada  num conceito, expressa de modo a definir de forma dramática aquilo que se ambiciona vocabular, transmitindo uma ideia aumentada do autêntico.

 

 

 

 
2 5 2
2013-04-21T19:24:19-03:00

Chama-se de metonímia ou transnominação uma figura de linguagem que consiste no emprego de um termo por outro, dada a relação de semelhança ou a possibilidade de associação entre eles.
Efeito pela causa:
Sócrates tomou a morte. (O efeito é a morte, a causa é o veneno.)
Causa pelo efeito:
Por favor, não fume dentro de casa: sou alérgica a cigarro. (O cigarro é a causa: a fumaça, o efeito. Podemos ser alérgicos a fumaça, mas não ao cigarro)
Marca pelo produto:
O meu irmãozinho adora danone.(Danone é a marca de um iogurte; o menino gosta de iogurte

 

Metáfora é o uso de uma palavra em sentido diferente do próprio por analogia ou semelhança.

Exemplos...

• Falar pelos cotovelos.
• Veja se eu estou na esquina...
• Meu coração é um balde despejado.
• Não anda bem da cabeça.
• Eu sou um poço de dor e amargura.

 

Relacionado com a antítese, o paradoxo é uma figura de pensamento que consiste na exposição contraditória de ideias.

Ex.: Quanto mais comiam mais sentiam fome

Tudo é o nada.

Já estou cheio de me sentir vazio

Eu sou um velho moço

 

Leia este trecho da obra de Rubem Braga:

 

“Eu, porque sou mole, você fica abusando”.

Observe que o pronome “eu” encontra-se solto na frase, sem estabelecer uma relação sintática com nenhum dos outros termos, já que houve uma troca entre o pronome “eu” e “você”.

Neste exemplo temos um caso de anacoluto, figura de linguagem que consiste na quebra da estrutura sintática da oração. Segundo Douglas Tufano, o tipo de anacoluto mais comum é aquele em que um determinado vocábulo parece que vai ser o sujeito da oração, mas de repente a construção frasal se modifica e ele acaba sem função sintática.

“E a menina, para não passar a noite só, era melhor que fosse dormir na casa de uns vizinhos”. (Rachel de Queiroz)

 

 

Há quem confunda “antítese” com “paradoxo”. A diferença reside, entretanto, na maneira como esses opostos se relacionam. Na antítese, temos duas teses contrárias, antônimas:

“Estou acordado e todos dormem, todos dormem, todos dormem”.
(Monte Castelo, Renato Russo)

Enquanto o eu lírico está acordado, os outros serem dormem. Seria um exemplo de paradoxo se a mesma construção estivesse da seguinte maneira:

“Estou dormindo acordado”.

Portanto, antítese é a figura de linguagem que consiste em construir um sentido através do confronto de idéias opostas.

 

A hipérbole é exatamente oposta ao eufemismo. Enquanto no eufemismo suavizamos uma expressão chocante, na hipérbole expressamos exageradamente uma idéia, a fim de enfatizar essa informação. Essa figura de linguagem  é bastante comum não só nos textos escritos, como na comunicação oral.

“Está muito calor. Os jogadores estão morrendo de sede no campo”.

 

2 5 2