Respostas

2014-03-09T14:40:13-03:00
O Consenso de Washington (CW), de 1989, previa a estabilidade monetária e o restabelecimento das leis de mercado por intermédio de 10 recomendações a serem seguidas pelos países da América Latina: 
1 – disciplina fiscal; 
2 – alteração das prioridades para o gasto público; 
3 – reforma tributária; 
4 – taxas de juros positivas; 
5 – taxas de câmbio regidas pelas leis do mercado; 
6 – liberalização das atividades do comércio; 
7 – cancelamento das restrições aos investimentos diretos estrangeiros; 
8 – privatização das empresas estatais; 
9 – desregulamentação das atividades econômicas conduzidas; e 
10 – garantia aos direitos de propriedade. 

Inicialmente, parecem recomendações positivas. Entretanto, muito mais protegem o capital (de modo genérico) e, em especial, o capital estrangeiro. 

Como fator positivo, aponto somente a chance de abertura dos mercados, o que promoveu a melhoria das indústrias nacionais, que se encontravam protegidas há algumas décadas e, por isto, produziam manufaturas com defasagem teconológica e com preços, muitas vezes, mais alto do que o praticado no mercado internacional. Neste contexto, a vantagem final ficou com o consumidor. 

Os fatores negativos são muitos, mas o principal é o já apontei: a vitória do capital, cuja movimentação passou a se dar com muita velodicade, sem restrições, atendendo aos interesses dos mais ricos. Neste quadro, a proposta final do CW foi a eliminação do Estado que proporcionava bem-estar, pois este Estado precisava ser reduzido nas suas atividades, no seu custo, e na sua capacidade de intervir no mercado. 

Se o texto estiver denso, faça observações para tentarmos ampliar e explicar melhor.