PSICOLOGIA DE UM VENCIDO

Eu, filho do carbono e do amoníaco,
Monstro de escuridão e retilância,
Sofro, desde a epigênesis da infância,
A infância mà dos signos do zodíaco.

Profundissimamente hipocondríaco,
Este ambiente me causa repugnância...
Sobe-me à boca de uma ânsia análoga à ânsia
Que se escapa da boca de um cardíaco.

Já o verma - este operário da ruínas -
Que o sangue podre das carnificinas
Come, e à vida em geral declara guerra,

Anda a espreitar meus olhos para roê-los,
E há-de deixar-me apenas os cabelos,
Na frialdade inorgânica da terra!

1) A linguagem do poema surpreende e modifica uma tradição poética brasileira, em grande parte constituída com base em sentimentalismo, delicadeza, sonhos e fantasias.
a) Destaque do texto vocábulos empregados poeticamente por Augusto dos Anjos e tradicionalmente considerados antipoeticos.

b)De que área do conhecimento humano provêm esses vocábulos ?

2) O poema pode ser dividido em duas partes: a primeira trata do próprio eu lírico; a segunda, da morte.
a)Como o eu lírico encara a vida e a si mesmo nas duas primeiras estrofes?

b)Que enfoque è dado à morte nas duas ultimas estrofes?

3) O títulos e uma espécie de síntese das ideias do poema. Justifique-o.

4)O poema è centrado no seu eu. Apesar disso, pode-se dizer que suas ideias são universalizantes? Justifique.

5) Identifique no texto ao menos uma característica naturalista e outra simbolista.

1

Respostas

2015-09-13T03:06:39-03:00
Faça uma pergunta por vez, se não complica pra responder.
15 3 15