Respostas

2014-03-17T14:24:33-03:00
Canhão de longo alcance: o canhão existe desde o século XIII, mas adquiriu, na Primeira Guerra, mais longo alcance e precisão; causou mais mortes do que qualquer outro armamento. Destacou-se o alemão "Grande Bertha", capaz de bombardear o alvo a 120 quilômetros de distância; com ele, os alemães bombardearam Paris.

Morteiro: o morteiro era uma espécie de canhão de curto alcance, que lançava projéteis com grandes ângulos de elevação. Foram desenvolvidos na Primeira Guerra Mundial, especialmente para ser usados nas trincheiras. 

Fuzil: o fuzil é uma arma de fogo portátil, de cano longo, que dispara projéteis giratórios; foi a arma de fogo padrão do exército norte-americano na Primeira Guerra Mundial, pois disparava com maior alcance e precisão. 

Metralhadora: criada em 1890, nos Estados Unidos, é uma arma de fogo automática que em pouco tempo dispara numerosos projéteis; era colocada nos aviões, nos tanques de guerra e camuflada nas trincheiras. 

tanque de guerra: com projeto inglês, o tanque é considerado um dos fatores decisivos para a vitória da Entente na Primeira Guerra; é um veículo de combate blindado, dotado de armamentos, que desequilibrou a guerra de trincheiras. 

Submarino: no século XVIII, na guerra de independência dos Estados Unidos, foi construído o primeiro submarino com objetivos militares. Porém, no início do século XX, os alemães os tornaram muito mais eficientes: movidos a óleo diesel e com periscópios muito precisos. Na Primeira Guerra, eram utilizados para afundar os navios da Entente, que desenvolveu sonares para detectá-los e projéteis para ser lançados para atingi-los no fundo do mar.

Encouraçado ou couraçado: projeto inglês de 1906, o encouraçado era um navio de guerra de grande tonelagem, blindado e armado com artilharia pesada, principalmente canhões de longo alcance. 

Avião: a invenção de Santos Dumont foi utilizada no início da guerra, para orientar os tiros da artilharia, em missões de reconhecimento, tomada de fotografias e identificação de alvos. Depois, surgiram os aviões de perseguição, chamados de caça, dotados de metralhadoras no "nariz", que tinham as cabines abertas. 

Balão dirigível: balão gigantesco, de até 150 metros de comprimento, foi usado principalmente pelos alemães e produzido pelo Conde Ferdinand von Zeppelin; efetuou os primeiros ataques de bombardeios sobre Londres, entre 1915 e 1917. A altitude em que voavam não permitia que aviões aliados pudessem atingi-los. Porém, o desenvolvimento de projéteis de metralhadora revestidos de fósforo incendiário inviabilizou os zepelins, que continham gás hidrogênio, altamente inflamável. 

Gases tóxicos: os alemães inauguraram, em 1915, o uso de gases tóxicos, lançando sobre Ypres, na Bélgica, o gás cloro, asfixiante; depois, também foi utilizado o gás mostarda, que ataca as vias respiratórias e provoca bolhas e queimaduras na pele, além de cegueira temporária; se aspirado em grande quantidade, também provoca asfixia. Até o fim da guerra, os dois lados usaram gases tóxicos e foram desenvolvidas máscaras contra gases. 

Granada de mão: a granada de mão é um artefato com câmara interna que leva uma carga explosiva; um pino de segurança é retirado da granada antes que ela seja lançada, acionando um dispositivo que dispara uma espoleta. Foi uma das armas mais revolucionárias da Primeira Guerra Mundial, dando aos soldados a possibilidade de atingir um inimigo abrigado em trincheiras. A granada Mills foi introduzida em 1915, e 68 milhões de unidades foram produzidas na Primeira Guerra. 

Lança-chamas: é um aparelho projetado para lançar uma chama longa e controlável; foi utilizado primeiramente pelos alemães. O fogo é causado por uma reação química entre duas ou mais substâncias, normalmente o oxigênio do ar e algum tipo de combustível, como gasolina, por exemplo. 
13 4 13