Respostas

2014-03-17T19:47:38-03:00
“Minha adorada amada:
Venho, por estas mal traçadas linhas, dizer lhe, profundamente do meu sentimento que estou  completamente apaixonado por você, minha linda mulher.
Sei que as aparências enganam e que não posso mostrar meu sentimento como posso mostrar minha face, mas também sei que você ver meus sentimentos. Assim, dentro da minha infinita humildade, ouso revelar-lhe que percebo que meus sentimentos não foram correspondidos, o que parte meu coração.  
No entanto, sei que tenho fé em ter você e vou esperar o tempo, não vou fugir do meu dever. Minha vida todos sabe e não tenho como esconder. Não desejo desistir de você e confundir as coisas. Estou sofrendo muito e tenho andado perdido.
Não vou me apressar, pois sei que um dia vou ter você. Vamos resolver! Não me passa sobre novamente! Vamos ser feliz a cada momento! Sei que nascemos um para o outro! 
Mas se não houver sensibilidade de sua parte por este amor infinito que nutro por você, perceberei que a vida é uma ilusão. Você me verá desconsolado, mas vou superar e voltarei a viver. Pois com a vida eu aprendi... Pense bem.
É melhor você está comigo do quê sozinha. Gostaria de receber de sua parte uma calorosa recepção, pois toda ato que você comete volta para si mesmo. 
Mas que não tenta não consegue. Encerro esta carta com espetacularmente: volte para mim, serei um marido exemplar e infinitamente apaixonado. Milhões de beijos e abraços do seu.
Simplício adorado das alturas.” 
2014-03-17T19:56:34-03:00
Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. (...) Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero o meu avesso.(...) Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.(...) Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem,mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos Quero-os metade infância e outra metade velhice. Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto: e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois os vendo, loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que “normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.