Respostas

2014-03-23T12:12:24-03:00

Afirma-se que o ser humano nasce com capacidade de raciocinar, direito à liberdade e auto-interesse. Assim está ele no estado de natureza, em que nenhum homem possui mais do que o outro - não existe subordinação. No entanto, constatando-se a ausência de um juiz imparcial e com plenos poderes, cada um envoca-o em si quando de sua necessidade. Todos têm, assim, o direito de castigar o seu ofensor e até matá-lo - mesmo que por precaução :)
2014-03-23T12:13:56-03:00
Ele foi um filósofo Empirista. 
Em sua obra “Segundo Tratado sobre Governo”, John Locke discorre sobre a passagem do estado de natureza para a vida em sociedade e mostra, no decorrer de sua análise, suas vantagens e desvantagens, mostrando, claramente, a preponderância das primeiras em relação às segundas. 

Afirma-se que o ser humano nasce com capacidade de raciocinar, direito à liberdade e auto-interesse. Assim está ele no estado de natureza, em que nenhum homem possui mais do que o outro - não existe subordinação. No entanto, constatando-se a ausência de um juiz imparcial e com plenos poderes, cada um envoca-o em si quando de sua necessidade. Todos têm, assim, o direito de castigar o seu ofensor e até matá-lo - mesmo que por precaução. É o que diz a grande lei da natureza: 

“Quem derramar o sangue do homem, pelo homem verá seu sangue derramado.”