Versos Íntimos
Augusto dos Anjos

Vês! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão - esta pantera-
Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!
O homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.

Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!

1-Do ponto de vista formal, o texto se caracteriza como um soneto clássico. Justifique essa afirmação, considerando o esquema métrico ao esquema rímico nele presentes.
2-Desde a primeira estrofe, percebe-se que o sujeito lírico relaciona a vida social do homem à vida dos animais selvagens, por meio de imagens que lembra o estilo naturalista, em seu determinismo cientificista e em seu materialismo. Que palavras da segunda estrofe melhor confirma essa afirmação?
3-Os versos que indicam a segunda e a terceira estrofe possuem um tom de conselho ou ordem, que é reiterado no desfecho do poema.
a-Que característica permite associar o conselho ou ordem da segunda estrofe ao Naturalismo?
b-Repare que o conselho ou ordem da terceira estrofe introduz no poema, de forma inesperada, um tom prosaico, de conversa cotidiana. O verso surpreende o leitor de forma irônica e provocativa, fazendo lembrar o realismo psicológico de Machado de Assis. Releia as duas estrofes finais e, a partir delas, explique o sentido da utilização desses recursos no referido verso.
c-Que modo verbal foi utilizado para expressar o tom de conselho ou ordem dos versos iniciais da segunda e terceira estrofes?
4-O vocabulário do poema o leitor acostumado com a poesia parnasiana, incluindo expressões que, do seu ponto de vista, podem ser consideradas “não-poéticas”. Identifique expressões desse tipo na terceira e na quarta estrofes e explique por que não poderiam ser consideradas poéticas, no contexto do Parnasianismo dominante na época?
5-Observe que, no poema, homem, vida social, amizade, solidariedade, afeto (beijo, mão que afaga) transformam-se em ingratidão, terra miserável, fera, desafeto ( escarro, mão que apedreja). Nessa perspectiva, tente interpretar sua estrofe final.
a-Que ações o sujeito lírico recomenda ao leitor?
b-Numa leitura mais profunda, poderíamos pensar que o sujeito lírico estaria nos advertindo, precavendo-nos contra aquilo que parece nos ordenar, aconselhar a fazer. Que recurso estilísticos presentes em todo o texto permite esse interpretação? Por quê?

1

Respostas

A melhor resposta!
2014-04-07T16:18:23-03:00
1) Sim, soneto clássico: 2 quartetos e 2 tercetos, versos alexandrinos, rimas ricas.
9 3 9
3) toma um fosforo.ascende teu cigarro
4) as frases imperativas e a palavra escarro, devido as características bucólicas dos parnasianos e seus versos descritivos e não narrativos.
muito obrigado pela dica me ajudou bstante
batsnte
eu errei ai é bastante