(PUCMG 2009) Até algum tempo atrás, os cientistas acreditavam que a pele negra havia evoluído para evitar cânceres de pele, pois a melanina absorve os raios ultravioleta do Sol. Mas essa teoria esbarrava no fato de que esse tipo de câncer costuma surgir em idade avançada, depois que as pessoas já tiveram filhos e, portanto, dificilmente alteraria a evolução. Estudos publicados em 1991 revelaram que pessoas de pele clara expostas à forte luz solar tinham níveis muito baixos da vitamina folato, cuja deficiência em mulheres grávidas podia levar à má formação de coluna vertebral em seus filhos. Sabemos ainda que o folato é fundamental na síntese de DNA e RNA. Enquanto os humanos modernos estavam restritos à África, a pele escura funcionava bem para todos. A partir de 100 mil anos atrás, os homens modernos migraram para Ásia, Oceania, Europa e, há pelo menos 15 mil anos, para a América. Nas regiões onde a pele humana recebia menores índices de radiação, a pele negra passou a representar um bloqueador dos raios ultravioletas necessários para iniciar a formação de vitamina D. Sabendo que a cor da pele humana é uma herança autossômica quantitativa e que a produção de melanina pode, em alguma extensão, ser influenciada pela exposição ao Sol, é correto afirmar, EXCETO: a) Nas mesmas condições, indivíduos de pele escura poderiam ser mais afetados pelo raquitismo do que aqueles de pele clara. b) Homens de pele clara, quando muito expostos à luz solar, podem ter reduzida a sua produção de espermatozoides. c) Nas regiões equatoriais, ter pele mais escura é sempre mais vantajoso do ponto de vista adaptativo do que ter pele mais clara. d) O tipo de nutrição dos homens durante sua evolução pode ter tido influência na seleção da cor da pele

1

Respostas

2014-04-19T10:50:09-03:00
Letra C -Nas regiões equatoriais , ter pele mais escura é sempre vantajoso do ponto de vista adaptativo do que ter pele mais clara .
1 1 1