Respostas

2014-04-21T19:48:52-03:00
  No período antecedente da Revolução Francesa, a França estava mergulhada numa grave crise financeira, propositada pelos altos gastos do próprio Governo, que gastava mais do que arrecadava e também os enormes custos de inúmeras guerras travadas pelo pais. Para manter a luxuosa corte, o exército e a administração, o Rei afundou-se em dívidas junto a bancos, porém as dívidas só aumentavam, e a crise piorava casa vez mais. O Rei Luís VXI tentou criar impostos para a nobreza, porém os mesmos se rebelaram. A reação da aristocrática deixou claro os limites do poder do Rei absolutista.
  Luís XVI convocou a Assembléia dos Estados Gerais, os votos dos deputados eram divididos em três Estados, 1° Estado o clero, 2° Estado a nobreza e o 3° Estado o povo (maioria absoluta). Obviamente o 1° e o 2° Estado votaram a favor da manutenção dos seus privilégios e seu não pagamento de impostos enquanto a o 3° Estado arcaria com impostos ainda maiores. O 3° Estado derrotado transformou os Estados Gerais numa Assembléia Constituinte, com objetivo de elaborar uma nova Constituição com intuito da melhora de vida do povo que vivia uma crise colossal. O Rei ordenou a guarda que cercasse o prédio da Assembléia Constituinte, mais o 3° Estado resistiu respondendo ao Rei que dali só sairia pela força das armas. 
   Logo a capital inteira respirava os novos acontecimentos. Os deputados eram a esperança de mudanças. O povo revoltoso com a crise e insatisfeito com o Rei no dia 14 de Julho de 1789, milhares de pessoas, inclusive mulheres e crianças, invadiram os arsenais reais, e munidos de espadas e fuzis tomaram a Bastilha, antiga prisão símbolo de opressão. Dessa forma a reação negativa da aristocracia perante as mudanças necessárias, foi essencial para o inícios da Revolução, foi o estopim que faltava para o povo rebelar-se.

Espero ter ajudado, demorei um pouquinho pra escrever. :) 
19 4 19