Trace um paralelo entre a situação da Igreja Católica do Séc. XVI, denunciada por Lutero, com a situação atual da Igreja que, segundo o entendimento geral e do próprio pontífice necessita de reformas, conforme o texto encontrado no Blog: noticias.gospelmais.com.br sob o título: Em nova e severa crítica à Igreja Católica, papa Francisco propõe uma das maiores reformas no Vaticano, publicado por Tiago Chagas em 27 de novembro de 2013, com os seguintes destaques: Aborto, capitalismo, dogmas, exortação apostólica, intolerância religiosa, reforma da cúria do vaticano.

1

Respostas

2014-04-22T22:30:51-03:00
A reforma dos dogmas católicos sempre foi tocante à doutrina da Igreja; sendo o mais comumente falado, ou o mais famoso "O concilio de Trento"; Lutero apresentou uma base reformista através das suas 98 teses abrindo caminho para Zwinglo e anabatistas. A igreja com sua unidade centralizada sempre busca o consenso e a harmonia entre interesses seculares, realidades empíricas, verdades espirituais e aplicações pragmáticas tal situação aconteceu no Século XVI com a reforma de Lutero (reforma protestante) e acontece nos dias atuais na postura de uma Igreja mais aberta, mas não menos espiritualizada; apoiada sempre nas escrituras, no Santo oficio, no catecismo, na autoridade papal e no bem humano. Acredito na mudança da imagem da Igreja católica, devastada pelos escândalos, com uma revolução pacífica marcada por uma linguagem direta e simples, embora muitos especialistas e católicos ressaltem que ainda falte muito para adaptar o mundo moderno a uma instituição milenar e antiquada.
8 3 8