Respostas

2014-04-27T13:34:11-03:00
A revolução social explodiu em 1905
No episódio, conhecido como "domingo sangrento", mais de mil pessoas foram mortas.
A indignação cresceu e a tendência à revolução ganhou amplitude. Sucederam-se greves, atentados e motins que se propagaram aos núcleos industriais e às nações submetidas ao império czarista, como a Geórgia, Polônia e Finlândia. Aderiram ao movimento alguns setores das forças militares, como os marinheiros do encouraçado Potemkim, fundeado no porto de Odessa.
A situação foi controlada, mas pela primeira vez o poder czarista ficou seriamente abalado. O czar Nicolau II prometeu reformar as instituições políticas e permitiu a criação de uma assembléia, a duma. Porém, assim que a ordem foi restaurada, o czar rejeitou as reformas e dissolveu a duma, impedindo a evolução em direção à monarquia liberal. O movimento de contestação ao regime, porém, reagrupou forças e a insatisfação cresceu mesmo entre os setores mais moderados.
Os operários aprenderam a organizar-se em sovietes, ou conselhos operários, e revolucionários na clandestinidade viram crescer sua influência.
A burguesia dividiu-se em dois partidos legais, os constitucionais democratas (cadetes, das iniciais K.D.), que defendiam uma democracia liberal, e os outubristas, favoráveis a uma monarquia moderada. Os revolucionários, reunidos no clandestino Partido Social Democrata dos Trabalhadores Russos, de inspiração marxista, fortaleceram-se.
O agrupamento ilegal não-marxista dos socialistas revolucionários (SR) separou-se depois de 1905 em duas alas, uma das quais juntou-se ao bloco liberal, enquanto outra adotava o terrorismo como método básico de luta.
O movimento de 1905 acentuou as divergências entre duas tendências do Partido Social Democrata dos Trabalhadores Russos, provocadas por problemas de organização e de doutrina: os mencheviques (minoria) e os bolcheviques (maioria) dividiram-se em partidos separados.
muito obg Carineamp15. :)
2014-04-27T13:54:15-03:00