A violência é um problema social que está presente nas ações dentro das escolas, manifesta de diversas formas entre todos os envolvidos no processo educativo. Isso não deveria acontecer, pois escola é lugar de formação da ética e da moral dos sujeitos ali inseridos, sejam eles alunos, professores ou demais funcionários.
Porém, o que vemos são ações coercitivas, representadas pelo poder e autoritarismo dos professores, coordenação e direção, numa escala hierárquica, estando os alunos no meio dos conflitos profissionais que acabam por refletir dentro da sala de aula.
Além disso, a violência estampada nas ruas das cidades, a violência doméstica, os latrocínios, os contrabandos, os crimes de colarinho branco tem levado jovens a perder a credibilidade em uma sociedade justa e igualitária, capaz de promover o desenvolvimento social em iguais condições para todos, tornando-os violentos, conforme estes modelos sociais.
Nas escolas, as relações do dia a dia deveriam traduzir respeito ao próximo, através de atitudes que levassem à amizade, harmonia e integração das pessoas, visando atingir os objetivos propostos no projeto político pedagógico da instituição.
Muito se diz sobre o combate à violência, porém, levando ao pé da letra, combater significa guerrear, bombardear, batalhar, o que não traz um conceito correto para se revogar a mesma. As próprias instituições públicas se utilizam desse conceito errôneo, princípio que deve ser o motivador para a falta de engajamento dessas ações.
Levar esse tema para a sala de aula desde as séries iniciais é uma forma de trabalhar com um tema controverso e presente em nossas vidas, oportunizando momentos de reflexão que auxiliarão na transformação social.
Com recortes de jornais e revistas, pesquisas, filmes, músicas, desenhos animados, notícias televisivas, dentre outros, os professores podem levantar discussões acerca do tema numa possível forma de criar um ambiente de respeito ao próximo, considerando que todos os envolvidos no processo educativo devem participar e se engajar nessa ação, para que a mesma não se torne contraditória. E muito além das discussões e momentos de reflexão, os professores devem propor soluções e análises críticas acerca dos problemas a fim de que os alunos se percebam capacitados para agir como cidadãos.
Afinal, a credibilidade e a confiança são as melhores formas de mostrar para crianças e jovens que é possível vencer os desafios e problemas que a vida apresenta.

1
ok eu li tudo mas o q é pra fazer????
Qual é o exercício? Dissertar sobre o tema??
Afinal, a credibilidade e a confiança são as melhores formas de mostrar para crianças e jovens que é possível vencer os desafios e problemas que a vida apresenta??
é para fazer uma argumentação explicando essa frase.

Respostas

A melhor resposta!
2014-04-29T08:45:35-03:00
Sem dúvida que sim, quem vai depositar confiança em um político que veste terno mas está sem calças atrás do púlpito??? O exemplo começa de cima, este país esta sem a fé das pessoas. Ações coercitivas? Por que será que existem? Os próprios mestres da vida que são os professores, estão desmotivados e com medo de ensinar. Quando vão trabalhar, vão com medo pensando se serão agredidos, estão despreparados abandonados.
A violência é uma resposta irracional e impulsiva diante de todo o cenário que se encontra a nossa frente. Impostos, não devolvidos em forma de saúde e educação apenas servem para projetar uma geração cada vez mais resoluta a animalidade e ao descontentamento, o que se precisa é de uma reforma de pensamento, que nasce debaixo para cima, porque se esperarmos mudanças por parte dos poderosos que estão la em cima, continuaremos vivendo nesse cenário vergonhoso.
 Como você vai ensinar a um jovem que ele precisa acreditar e confiar em um governo, que rouba e menospreza a classe pobre? O que precisamos fazer é conscientiza-los que eles precisam acreditar e confiar em si mesmos, inculcar em suas jovens mentes que eles podem e tem o poder de fazer a diferença e construir um futuro melhor para as próximas gerações,,,
4 3 4